Gramado – Comendo na Cantina Pastasciutta

Cantina Pastasciutta

Isto pode ser lido em Português
This can be read in English
Esto se puede leer en Español

Cantina Pastasciutta

O visitante que chega a Gramado de ônibus não poderá deixar passar despercebida a construção que abriga a Cantina Pastasciutta. Um casarão construído com grandes pedras rusticamente talhadas localizado exatamente à frente da rodoviária da cidade.

Cantina Pastasciutta

As grossas paredes abrigam um interior veramente italiano! Com bandeiras italianas penduradas por todos os lados, elementos que remetem ao ambiente da cozinha – reino absoluto dos italianos – e, até mesmo, elementos que lembram uma feira. O ambiente da Pastasciutta é impecável e divertido!

O restaurante oferece uma mesa self service om antepastos, queijos, saladas, azeitonas e diversas outras comidinhas para esquentar os motores enquanto os atores principais da refeição não chegam a sua mesa. Em maio de 2015, o valor cobrado era de R$ 9,60 a cada 100g.

Cantina Pastasciutta

Vale ressaltar, nesse ponto, que as porções são extremamente bem servidas. Cada prato é mais que suficiente para duas pessoas. Dependendo das pessoas, dá para repartir em até três comensais. Então, vá com calma nos aperitivos.

Cantina Pastasciutta

As massas são frescas e produzidas pela casa e o garçom traz um mostruário com as massas servidas pela casa e o cardápio. Você escolhe uma massa e um molho, que determina o preço do prato. Pronto. Simples e rápido. Nós fomos de tagliatelle com molho de Scalopini à Quatro Formaggio. É sensacional! O molho encorpado e aveludado abraça a massa e os scalopinnis são macios como uma carne bem feita deve ser. Nosso serviço foi bem rápido, mas o restaurante estava vazio. Mas uma espera vale à pena para uma refeição bem feita.

Cantina Pastasciutta

Para a sobremesa, pedimos o tradicional Tiramisú. A apresentação é irretocável, com o formato retangular do doce no prato oval, cercado por grãos de café e uma contrastante folhinha de hortelã. Lindo e apetitoso. Saboroso, também, mas Dani gostou mais porque eu não curto muito café.

Cantina Pastasciutta

Nossa conta deu um total de R$ 150 para duas pessoas, mas que poderia muito bem ter servido três pessoas (com exceção do Tiramisú). De bebida, nós pedimos apenas uma Aquarius Fresh. No final das contas, a sensação é de que foi um dinheiro bem investido numa experiência gastronômica extremamente válida.

dicas e descobertas

Peça um pãozinho para se deliciar com o restante do molho do fundo da panela. No nosso caso, fizemos diferente e pegamos algumas torradas de alho no buffet. Delícia!


Cantina Pastasciutta

Av. Borges de Medeiros, 2083 – Centro, Gramado – RS, 95670-000
(54) 3286-2131


E você? Conhece Gramado? Pretende ir para lá? Conta aí o que você acha dessa cidade, que a gente adora ouvir o que vocês têm a dizer! =D

Vai viajar? Que tal reservar seu hotel com o Booking.com? Cada vez que você reserva seu hotel através do Blog, nós recebemos uma comissão e você não gasta nada a mais por isso! Viu que maneira legal de ajudar a gente? =D

Gramado – 10 Motivos para Conhecer

Gramado

 Isto pode ser lido em Português
This can be read in English
Esto se puede leer en Español

Gramado

Gramado já é um destino consagrado no território nacional. Milhares de visitantes são atraídos, todos os anos, para essa agradável cidadezinha do Rio Grande do Sul. Muitos são os motivos que fazem essas milhares de pessoas se locomoverem até o Sul do país, e as épocas do ano mais movimentadas são a Páscoa, o Inverno brasileiro, o Festival de Cinema de Gramado e o Natal. Mas, Gramado é uma cidade para visitar o ano inteiro! Nós listamos 10 motivos pelos quais você deve agendar suas férias, reservar seu hotel e partir! Confere aí.

Gramado em qualquer época do ano

Naturalmente, as pessoas tendem a procurar Gramado em três momentos distintos do ano: O Natal – famoso pelo “Natal Luz”, a Páscoa, por causa dos chocolates e no alto inverno, por causa do frio das serras gaúchas. Acontece, no entanto, que Gramado é uma cidade com atrativos para se visitar o ano todo, independente de eventos isolados.

Gramado

Seja para conhecer a própria cidade, que se enche de flores e árvores verdejantes na primavera/verão, seja para conhecer cidades próximas como Nova Petrópolis, Canela e Bento Gonçalves, com os seus Vale dos Vinhedos e Caminhos de Pedra, o fato é que a região de Gramado é uma joia turística. A cidade está pronta para receber o visitante em qualquer época e as atrações se modificam, o que acaba causando a necessidade de voltar à cidade em diversos momentos do ano!

dicas e descobertas

Se o seu intuito for mesmo tremer de sentir o frio de Gramado, a época do ano em que a cidade é mais fria é, obviamente, o inverno do hemisfério Sul – Julho a Agosto. Isso não quer dizer, no entanto, que a cidade só seja fria nesses três meses. Por causa de sua altitude, já é possível passar frio desde meados de maio até meados de setembro. Qual a vantagem? Não está tão frio -se der sorte, pode ser até que você pegue bastante frio -, mas você vai poder tirar o mofo usar os casacos há décadas guardados e os preços ainda não estão estratosféricos. Acredite, nos meses de alta estação, eles podem passar a estratosfera.

Conhecer as atrações de cidades vizinhas

Se você for passar mais do que duas manhãs em Gramado, sugiro conhecer alguma cidade vizinha. A região conta com muitas cidades interessantes. Em Canela, você pode conhecer o centro, a Catedral de pedra e o Parque do Caracol. Em Nova Petrópolis, você também vai achar a cidade lindinha, com destaque para a Aldeia do Imigrante e o famoso labirinto verde, feito com árvores, além da cidade ser um paraíso das compras de artigos de couro e crochê.

Gramado

Visadas dos vinhedos no Vale dos Vinhedos

Um passeio mais longe vai lhe levar a Bento Gonçalves, onde você pode visitar o Vale dos Vinhedos, com suas diversas vinícolas e belas paisagens, e pode visitar o Caminhos de Pedra, com as construções típicas dos imigrantes da península itálica, onde eles vendem desde doces até vinhos, passando por alguns restaurantes fantásticos. As vistas desses passeios são deslumbrantes.

Gramado

Casa típica do Caminhos de Pedra

 

dicas e descobertas

Se você não está acostumado a dirigir por essas bandas ou não tem muita intimidade com estradas, prefira fazer os passeios com empresas especializadas. As estradas nessa região podem apresentar muitos aclives e declives e muitas curvas. Para completar, raras são as estradas mais atraentes que sejam duplicadas. Para curtir a vista, vá de transporte com alguma empresa. Pergunte na recepção do hotel.

Comer –muito – bem, mas nem sempre barato

Gramado

File Mignon com Jacked Potatoes d’O Irlandês.

Os restaurantes em Gramado não brincam em serviço! Há opções para todos os bolsos (há mais opções para os bolsos mais cheios, é verdade) e as comidas são muito bem preparadas. Há de tudo. De cantinas Italianas a PUBs irlandeses, passando por pães e cucas tradicionais feitos por filhos e netos descendentes de alemães.

Gramado

Risoto de Carne de Panela da Casa Vanni, no Caminhos de Pedra

Claro, como não poderia faltar, há as proliferadas sequências de fondue, em que são servidos três tipos de fondue (queijo, carne e chocolate) por preços atraentes (a partir de R$34 por pessoa). Nesse caso, atenção, pois as qualidades variam demais. Os mesmos restaurantes que oferecem a sequência de fondue oferecem os fondues separados pelo dobro do preço. Obviamente, a qualidade não poderia ser a mesma. Mas as sequências valem à pena se a sua intenção for experimentar.

Gramado

Fondue de chocolate – parte final da sequência de fondues

Comprar artigos de couro

Gramado tem muitas lojas que vendem artigos de couro, mas o lugar para isso é a cidade vizinha, Nova Petrópolis, que está se especializando no assunto e está cheia de lojas comercializando artigos em couro e produtos de tricô. Interessante perceber que os produtos são sensivelmente mais baratos do que em Gramado. Nós compramos uma mala de couro por R$ 150 reais em Nova Petrópolis e, em Gramado, a mesma mala custava cerca de R$ 500 reais.Talvez a grande diferença seja pela pouca fama da cidade vizinha, mas é bem importante perceber isso. Principalmente porque Nova Petrópolis fica a menos de 40km de Gramado. Ou seja: fácil de chegar!

Gramado

Se apaixonar pelos gramadenses

Gramado tem uma coisa que ainda não encontrei em nenhuma outra cidade – talvez em Cartagena de Índias: uma urgência em ajudar e um sorriso constante. Não sei se a vocação de cidade turística os força a ser assim ou é uma característica típica do pessoal de lá, ser feliz boa parte do tempo. De uma maneira ou de outra, é fácil sentir-se de casa, “muito querido” (eu tento acrescentar uns termos de lá no meu dia a dia porque eu acho o máximo).

Claro, eu vou acrescentar, aqui, que essa sensação de receptividade e acolhimento é infinitamente maior quando você se hospeda em pequenas pousadas. Muitas vezes você será atendido pelo próprio dono da pousada que, inclusive, mora ali mesmo. Então não é como se sentir na casa de um local, mas é estar verdadeiramente na casa de uma pessoa! Na posada Caminho das Rosas, era a dona da pousada quem preparava o nosso café da manhã. Veja que, mais pessoal que isso, impossível!

Parte do café da manhã preparado por Sara e seus pais, donos da Pousada Caminho das Rosas

Parte do café da manhã preparado por Sara e seus pais, donos da Pousada Caminho das Rosas

Chocolates!

Ah! Caro leitor, o correto procedimento para ir a Gramado é: inscreva-se numa academia, pelo menos por seis meses, e comece dois meses antes da viagem. Acredite: não bastava uma coletânea de bons restaurantes, Gramado tem uma larga produção de deliciosos chocolates. Tem para todo gosto e bolso (mais uma vez).

Gramado

Pinguins de chocolate! <3

Nos últimos anos, a quantidade de lojas vendendo chocolates, eu diria, triplicou (os dados são do Instituto Empírico Rodrigobope de medição). Atenção, portanto, na hora de comprar, pois o barato pode sair caro e você pode comprar gato por lebre. Não foi incomum encontrar lojas vendendo 15 barrinhas por R$10, R$11 reais. Quando nos aproximamos para ver as dita cujas, percebemos que elas estavam “suadas”, o que indica uma incorreta preparação e manipulação do chocolate. Se você não faz questão de um chocolate de excelente qualidade, vai lá e se joga! Agora, se você pretende experimentar o melhor do chocolate gramadense, procure pelas lojas mais tradicionais.

Andar de Pedalinho no Lago Negro

Nós no pedalinho do Lago Negro

Nós no pedalinho do Lago Negro

Ir até Gramado e não dar uma singela volta nos patinhos do Lago Negro é um pecado mortal que o viajante não pode cometer. O Lago Negro é um lago artificial que fica numa das porções mais altas da cidade. Rodeado de pinheiros e hortênsias, a sua sensação será a de que, mais uma vez, você está num país europeu (Gramado gosta de parecer a Europa). A verdade é que se trata de uma área belíssima e que merece uma visita longa e descompromissada. Inclusive, não seria nada demais carregar uma cesta repleta de comidinhas e um bom vinho (suco de uva para quem não bebe álcool, como eu) e se jogar nos gramados num piquenique. Fique à vontade!

Conhecer os muitos museus da cidade

Gramado tem se especializado em museus de todos os tipos. Tem museu de cera, museu de carros, museu do vapor, Mini Mundo. Até museu de perfume tem!

Gramado

Para o turista que curte museus temáticos, Gramado é o lugar! Recentemente, foi inaugurado uma espécie de parque temático de neve: o Snowland. Confesso que não são os meus passeios favoritos para a cidade. Gosto mais de aproveitar as belezas naturais e culturais, mas os museus são uma opção válida para o viajante que curte mais atividades indoor. Vai lá e se joga!

Gramado

Se acabar nos produtos Coloniais

Por ser uma área de forte influência dos imigrantes alemães e italianos, há muito dessas gastronomias que se pode experimentar em Gramado a preços muito atraentes. Em duas opções: no Caminhos de Pedra, mais uma vez, é possível visitar casas e comércios dos descendentes desses colonos e comprar desde doces e geleias até salames e produtos de charcutaria da melhor qualidade, passando pelos maravilhosos molhos de tomate da Casa do Tomate (corra da gasosa que eles vendem. A gente achou bem ruinzinha). Alguns estabelecimentos – a maioria – já trabalham com cartão de crédito e débito, facilitando a vida do viajante moderninho (ou quebrado).

Gramado

Salames artesanais na Casa do Colono

Se você não tiver tempo, no entanto, de se deslocar até o Caminhos de Pedra, há, no centro de Gramado, na praça das Etnias, a Casa do Colono. Um espaço dedicado a vender desde as mesmas geleias até os salames preparados ali pela região. Os preços são bem idênticos – às vezes, até mais baratos!- e tem-se a facilidade de não precisar se locomover até Bento Gonçalves (muito embora eu recomende com veemência que você o faça – dá para ir e voltar no mesmo dia, para aproveitar a noite de Gramado). Ao lado da Casa do Colono, você vai encontrar um verdadeiro centro panificador, com a produção de cucas e pães especiais que são de comer ajoelhado (pra passar embaixo da mesa, que nem nossa amiga Ana Maria Braga). Os pães e cucas são feitos ali, na hora, com as labaredas lambendo a nossa cara. Atenção que tanto os padeiros quanto a Casa do Colono somente aceitam pagamento em dinheiro.

Gramado

Cucas e pães quentinhos saídos do forno a lenha na Praça das Etnias

Mais uma vez, comida. A essa altura você deve estar tentando mensurar meu peso, né não? Eu fiz o plano anual da academia!

Caminhar descompromissado com a vida

A verdade é que Gramado é uma cidade amável. Tudo funciona o tempo todo. As ruas são bem cuidadas, os cidadãos educados, os motoristas param antes das faixas de pedestres, até (algumas) árvores e arbustos são comportadinhos. O Universo conspira para que você dê umas voltinhas a pé pela cidade.

Gramado

E vá devagar, degustando a cidade aos poucos, calmamente.Observe os prédios e suas formações pseudo-germânicas, as árvores verdejantes ou marronzinhas, as famosas hortênsias, de um azul pujante durante a primavera (com sorte, você encontrará algumas resistentes ainda coloridas no outono). Introduza-se à cidade e ela vai se apresentar a você.

Atualização

Nós fizemos um vídeo com imagens da cidade, para ir empolgando a sua viagem. Curte aí!

Gramado – ServiçodeBordo.com from Rodrigo Goncalves on Vimeo.

 

É isso, meu povo! Gramado é um destino para o ano todo. Seja verão ou seja inverno, você vai sempre encontrar o que fazer por lá. Não é uma cidade para badalar ou para bater cabelo se esbaldar na noite, mas uma cidade para se apreciar vagarosamente, seja comendo uma massa italiana com vinho, seja num passeio pelas ruas arborizadas e cheias de sorrisos.

E você? Conhece Gramado? Pretende ir para lá? Conta aí o que você acha dessa cidade, que a gente adora ouvir o que vocês têm a dizer! =D

Vai viajar? Que tal reservar seu hotel com o Booking.com? Cada vez que você reserva seu hotel através do Blog, nós recebemos uma comissão e você não gasta nada a mais por isso! Viu que maneira legal de ajudar a gente? =D

Buenos Aires – Il Gatto Tratoria: Fast Food pra fugir do Junk Food.

Buenos Aires - Il Gatto Tratoria
Buenos Aires - Il Gatto
Um ambiente agradável e bem cuidado

Quando se pensa em viagem internacional e a palavra de ordem é pindaíba restrição monetária, a primeira coisa a sofrer é a alimentação. Então, os fast foods de sanduíches acabam imperando por sua facilidade de serem encontrados em qualquer país do mundo, por seus preços naturalmente baixos e por sua rapidez de preparo.

Agora, convenhamos que a pessoa se desbancar daqui pra outro país viajar, conhecer outras culturas, falar outros idiomas e, na hora de se alimentar, comer o mesmo tipo de comida que acha em casa é uma lacuna na experiência da viagem, né?

Então, como se alimentar em outro país sem ficar pobre comprometer o orçamento da viagem? Nossa dica é procurar por restaurantes fora do circuito turístico, em bairros e regiões mais residenciais. Foi assim, caminhando por las calles de Buenos Aires que encontramos a grata surpresa do Il Gatto Tratoria, uma rede de fast food argentina especializada em massas. Não digo que vá ser uma experiência gastronômica inesquecível, mas ele é surpreendente quando se analisa a relação custo x benefício.

Logo de cara, já percebemos que era um restaurante frequentado pelos locais, pela quantidade de famílias jantando no lugar, inclusive com carrinhos de bebês. Esse era o local que a galera adorava! Foi lá que resolvemos jantar!

De entrada, pedimos bastões de Mozarella empanada com molho de tomate. Um prato simples assim deveria ser bem sem graça, né? Mas não! A fritura era bem sequinha, a muçarela deliciosa e o molho de tomate muito bem feito!

Buenos Aires - Il Gatto Tratoria
Bastões de muçarela empanada com molho de tomate

Depois, pedimos duas massas igualmente bem feitas e honestas no sabor. O meu era um Tagliatelle com molho de tomate e o de Dani era um ravióli – eu acho – também com molho de tomate. O legal é que o próprio garçom rala o queijo parmesão na sua frente, na hora em que ele deixa o prato. Esse tipo de finalização à mesa sempre é um toque charmoso e atrativo! E olhe que estamos falando de fast food!

Buenos Aires - Il Gatto Tratoria

Buenos Aires - Il Gatto Tratoria

Não me lembro do valor final da nossa comilança, mas me lembro que não foi nada exorbitante. E, com o serviço de qualidade que eles oferecem, eu acho que vale demais a visita. Aliás, na minha próxima ida à Argentina, já está marcado na minha agenda!

Serviço

Como é uma rede de Fast Food, procure no site deles as lojas mais próximas da sua localização e aproveite!

www.ilgatto.com.ar

Curiosidade sobre os restaurantes de Buenos Aires

Quando sua conta chega à mesa, você percebe que existe a cobrança de uns tais de cubiertos e, tenho certeza, você não pediu um prato de cubiertos e nem o garçom está tentando lhe empurrar uma cobrança de algo que você não pediu. Os cubiertos são os talheres e cobrar por eles é uma tradição antiga na Argentina e que, graças à globalização do turismo, vem caindo em desuso nos restaurantes e congêneres. Se você recebeu uma cobrança dos cubiertos, não fique indignado querendo bater o cabelo argumentar com o gerente sobre as motivações absurdas da cobrança. Aceite, pague e saiba que esse é um costume que, com sorte, você não encontrará mais na sua próxima visita à cidade! =D

Serviço de Bordo.com também é cultura! Rá!

Vai viajar? Que tal reservar seu hotel com o Booking.com? Cada vez que você reserva seu hotel através do Blog, nós recebemos uma comissão e você não gasta nada a mais por isso! Viu que maneira legal de ajudar a gente? =D

 

 

Tokyo’s Café – Pastel delícia no Recife

 

O Jardim externo do Tokyo's Café
O Jardim externo do Tokyo’s Café

Caminhar pelo bairro das Graças, no Recife, é uma delícia e sempre traz boas surpresas e agradáveis descobertas. O bairro é arborizado, com um clima caseiro, apesar dos altos prédios e, mesmo com as calçadas precárias, ele convida a um passeio a pé.

Parque da Jaqueira, um dos mais movimentados da cidade do Recife. No coração do bairro das Graças.
Parque da Jaqueira, um dos mais movimentados da cidade. No coração do bairro das Graças.
Parklet instalado no bairro. Um convite ao passeio a pé.
Parklet instalado no bairro. Um convite ao passeio a pé.

Nessas caminhadas por lá, encontramos o Tokyo’s Café. Na verdade, já tínhamos muito ouvido falar sobre ele, mas nunca tínhamos tido tempo de visitá-lo. Dia desses, no entanto, acabamos passando por lá e experimentado o famosíssimo pastel (eu sou apaixonado por pastel, minha gente). Famoso por que esse pastel já era servido lá na década de 70, no Tokyo Pastel original, que ficava no centro da cidade. Dizem que era o sucesso entre os estudantes!

jardim
Á área externa do Tokyo’s Café, no Recife.

O ambiente da Tokyo’s Café é super agradável, com um área externa com algumas mesinhas e um banco de cimento muito legal, com frases e desenhos, além de um pergolado repleto de orquídeas em vasos pendurados (Dani achou tendência!). Uma musiquinha suave vai embalando a tarde calma de domingo e nos colocando no clima de começar os trabalhos.

orquideas

A gente pediu dois pastéis, o de carne e o de frango com catupiry (o tradicional e o inventivo) e uma coxinha de frango como entrada.

O ambiente descontraído e simples, quase de quintal de casa, emoldura o pastel, que tinha a massa mais sequinha que eu já vi em pastéis! E olhe que eu já comi pastel nessa vida (muitos deles ainda me acompanham…¬¬). Tão sequinha que o papel da embalagem mal estava molhado, o que é uma situação típica em pastéis.

pasteis
O melhor pastel do Recife!

Em contrapartida, o recheio era maravilhoso. Suculento e bem temperado, eu preferi o de carne, por sua simplicidade de sabor e honestidade, mas o de frango com catupiry também era extremamente bem feito!

pastel de carne

A coxinha era DELICIOSA, com uma massa nunca antes vista na história desse país. Parecia que se derretia na boca e, se não me falha o paladar de cozinheiro, havia algo de queijo naquela benção.

Foi o que a gente conseguiu salvar para sair na foto! MUITO GOSTOSA!
Foi o que a gente conseguiu salvar para sair na foto! MUITO GOSTOSA!

Para finalização do lanchinho de gordo de domingo, pedimos uma cheesecake de framboesa. Devo confessar que eu achei normal. Não sei se pelo fato de que eu não sou muito chegado a cheesecakes ou pelo fato de que ela era bem executada, mas simples. Não se compara à surpresa do bom pastel, entende?

cheesecake

Então, no resumo, três pastéis, dois refrigerantes, uma coxinha e uma cheesecake deu uma conta de R$ 46 reais, com 10% incluídos (devidamente pagos em espécie à garçonete. O serviço é opcional, mas não pode ser passado no débito).

Na próxima vez que estiver no Recife, não deixe de dar um passeio pelo bairro das Graças e de aproveitar uma paradinha no Tokyo’s!

Serviço

 

O Tokyo’s Café abre de terça a domingo, das 15h às 22h. Fica na Rua Dr. Malaquias, 74A.

 

__________________________________________________________________________

Planejando uma viagem para o Recife e arredores? Reserve seu hotel com o Booking.com

Empanada: a identidade de uma nação

empanadas-argentinas
Empanadas Argentinas Fonte: receitasdecomidas.com.br

Visitar a Argentina pode ser uma experiência gastronômica interessantíssima! Confesso que, da primeira vez que fui, fiquei encantado com a culinária daquele local, sobretudo, com o que, para mim, reflete a identidade da nação argentina: a empanada.

Praticamente cada esquina desse país vende as famosas empanadas argentinas. Digo argentinas como um modo de diferenciá-las radicalmente das empanadas venezuelanas. E são muito diferentes em preparo e, por consequência, no sabor. A empanada venezuelana tem como característica marcante o fato de ser preparada frita, ao passo que a argentina é assada. Só isso já é motivo de grande diferença de sabor e de uma rusga velada entre os dois países na discussão de qual empanada é a melhor. Como já provei as duas, posso dizer: ambas são fantásticas!

Empanada de carne. Fonte: http://www.tahonapizzeria.com/
Empanada de carne. Fonte: http://www.tahonapizzeria.com/

A empanada argentina, de volta ao tema, é uma comida simples, com uma massa de um preparo mais complexo, que envolve grasa vegetal, farinha e ovos. A graça dessa comida, no entanto, está no recheio e na sutileza de sua apresentação.

Os recheios são os mais variados, sendo os mais tradicionais os de queijo e presunto (jamón y queso), cebola e queijo (cebolla y queso) e carne. E é no fechamento da massa que reside uma gentileza argentina das mais belas. Levemente torcida, a borda da massa dobrada conforma uma espécie de pastel com um acabamento delicado, irreprodutível por mãos desprovidas de vontade e carinho. Há, também, o ponto certo da cocção, que empresta um dourado apetitoso à massa. Isso tudo torna a empanada não apenas uma comida de esquina, mas uma experiência cultural interessantíssima. Um retrato do povo argentino. Do seu modo de fazer. Cuidadoso, belo e eficaz.

Quem for à Argentina, portanto, não pode deixar de experimentar essa iguaria, motivo de orgulho argentino. Nem mesmo as dezenas de empanadas empilhadas na vitrine fazem aquela iguaria perder seu charme e sensualidade. Experimente de todas e eleja a sua favorita. Coma em pé, sentado, com as mãos, de garfo e faca. Como toda experiência cultural, degustar uma empanada deve ser levada ao máximo das possibilidades!

As delícias de Tiradentes

Se você ama uma boa comida, Tiradentes é um destino para guardar no coração (comida mineira, amor verdadeiro, amor eterno)!!

Sim, passamos uma semana se acabando nas delícias da cidade que ama uma fartura! A começar pelo café da manhã da nossa pousada (Villa Allegra) que toda manhã trazia no seu buffet pãezinhos de queijos saídos na hora, bolos e bolos, pães artesanais, e outras delícias. Mas além do pão de queijo, descobrimos uma delícia mineira que a gente sempre pedia para petiscar nos bares – pastel de Angu. Experimente recheado com camarão ou queijo minas e se apaixone também. O bolinho de jerimum recheado com carne seca e acompanhado de uma boa pimenta mineira também tem um lugar reservado no coração.

Durante o almoço geralmente optávamos por petiscos mesmo. A região da praça principal traz as melhores opções e há desde botecos a self service de comida mineira servida no fogão à lenha. Bistrôs e barezinhos que trazem o agito noturno também estão por ali.

Dois destaques de opções feitas por nós em almoços mais fartos: o Bistrô Divagar Gourmeco, localizado perto da igreja matriz, é um bistrô de um proprietário italiano (eu acho) que traz suas origens para o menu focado em massas e risotos. O cardápio não é fixo, e possui preços até atrativos (principalmente levando em conta que os preços em Tiradentes são em geral mais salgados). Optamos por um risoto de gorgonzola com favo de mel e um parpadelle. Ambos estavam impecáveis, destaque tb para a caipirinha frozen com mel.

risotodearroz
Risoto de gorgonzola com favo de mel. FANTÁSTICO!

O Ora pro Nobis é localizado na rua do chafariz e possui uma área externa deliciosa com uma decoração rústica. O atendimento foi feito pelo próprio chef, super simpático e atencioso (como quase todo lugar na cidade). O restaurante é recomendadíssimo e possui comida mineira de primeira qualidade pra comer sem pressa. A primeira vista pode parecer bem $algado, mas bastou os pratos chegarem pra vermos que não era bem assim, as porções são ENORMES de fartas.

orapronobisEntrada bucólica do Ora pro Nobis.

Fomos almoçar após uma trilha de 10 km pela Serra de São José, azul de fome que estávamos, pedimos uma porção de linguiça mineira, uma massa de 4 queijos para Rodrigo, e meia porção de lombo à mineira para mim. Gente, só a porção de linguiça (que vem flambada em cachaça mineira) já era uma refeição completa.

orapronobis2

A meia porção de lombo à mineira então, servia tranquilamente 3 pessoas. Foi uma fartura. O lombo estava desfiando, acompanhado de tutu à mineira mega delícia e uma farofa de banana que até hoje sonho com ela. Não dei conta do recado, não coube… fui embora com muita tristeza no coração por deixar o melhor lombo da minha vida.

orapronobis3

Pausa cultural – O Ora pro Nobis é o prato típico da cidade, e obviamente tem destaque no restaurante. Consiste em frango cozido com a erva “ora pro nobis”. Reza a lenda, era uma planta que nascia pelos muros da cidade colonial e que os escravos pegavam para preparar ensopados, pois sua folha é carnuda e lhes forneciam bastante energia. Leva esse nome porque apenas na hora do “ora pro nobis” da missa os padres ficavam distraídos por tempo  suficiente e assim os escravos conseguiam pegar suas folhas escondidos. Não encarei, mas pra quem tem curiosidade dá pra experimentar em algum self service da cidade.

As maiores extravagâncias deixamos para o jantar. A começar pela pizzaria do Seu Barthô, também na rua do Chafariz, que foi simplesmente a melhor pizza da nossa vida! Sem exagero! Massa incrível, fininha e crocante, recheio farto, ingredientes selecionados, perfeito! E como a gente gosta de passar bem, a entrada ainda teve crostinis super fininhos e crocantes temperados com lemmon peper e de sobremesa pizza de doce de leite e requeijão cremoso <3

Tragaluz é provavelmente o restaurante mais comentado de Tiradentes. Com um cardápio lindo em formato de Revista e ilustrações infantis ele conta a história da criação do restaurante e você já começa a se apaixonar. Com ambientes charmosíssimos no salão interno ou no jardim à meia luz,é a opção para aquele “jantar romântico”. Com foco para carnes e aves, a galinha pintada (não a azul que canta) é o destaque da casa, mas fomos de bife de ancho e contra filé mesmo. Pontos perfeitos e acompanhamentos idem. De sobremesa fomos com a vedete da casa, já citada até no NY Times, goiabada grelhada com crosta de castanha de caju sobre uma calda de requeijão cremoso acompanhada de sorvete de goiaba – não tem como isso dá errado, né?! <3 <3 <3. Por favor, mesmo que não queria jantar no Tragaluz, vá apenas para a sobremesa, você não se arrependerá.

tragaluz
Prato de filé do Tragaluz

Para os maiores tesouros dos doces de Tiradentes há 2 lugares que não podem deixar de serem visitados!

Chico Doceiro é um simpático senhor que vende doce de leite feito no seu mega tacho de cobre na frente dos clientes. Sua venda, com cara de garagem da própria casa,  é localizada numa região bem residencial (mas que todo mundo sabe onde fica). Além do doce de leite delicioso no canudinho, com massa própria e mega crocante, há outros docinhos como cajuzinhos e doce de abóbora, mas nada se compara a perfeição do canudinho de doce de leite. Seu chico é uma figura e adora bater um papo, não aguentei e tirei até foto com ele.

IMG_5167

E para fechar – doceria For de Lótus, com 2 lojas na cidade, duvido que você consiga parar lá apenas uma vez. A loja possui prateleiras abarrotadas de compotas e geleias caseiras, pimentas de todos tipos e ardências, frutas cristalizadas, casquinhas de limão e laranja açucaradas, doce de leite de diversos sabores embalado na palha, queijos artesanais mineiros, resumindo, O PARAÍSO. Claro que trouxemos um pequeno carregamento de tudo isso para casa. E outro pequeno carregamento que consumimos lá mesmo. Mas algo merece o meu amor eterno, a bala de coco recheada, ou um pedacinho do paraíso se derretendo na sua boca. Gente! É uma balinha mole de coco com recheio de brigadeiro, maracujá ou abacaxi! Muito amor para sempre!!! Se tivesse trazido um container dela tão teria sido suficiente.

flordelotus

Se tiver indo para Tiradentes, pode se esbaldar em todas as delícias, são muitas, e deixa pra se preocupar com calorias só na volta. Aproveita essa terra da comida faaarta e da boa hospitalidade. E por favor, traga balinhas de coco para mim!

Translate »