Haus Lajetop – uma bar na laje no Recife

Isto pode ser lido emPortuguês

This can be read in English

Esto se puede leer en Español

A Galeria Joana D’Arc, no Pina, sempre foi o reduto de alguns dos bares e restaurantes mais descolados do Recife e frequentados pelo público mais diverso dessa cidade. Foi lá que nasceu e existe, até hoje, o excelente Anjo Solto, por exemplo. E foi lá que, no local onde viveu o saudoso Boracho, nasceu o Haus Lajetop & Beergarden. E nós fomos conferir o local para te contar nossa experiência!

haus_geral

O espaço conta com dois ambientes. Três, se considerarmos a área externa, que é dividida com os clientes do Anjo Solto. O térreo tem ar-condicionado. Mas, é na laje que a coisa toma a real proporção. Não que a laje tenha uma decoração a mais nem nada do tipo, mas é bem legal estar na cobertura do prédio, o que dá uma pequena descontraída no ambiente, além do vento massa! Gostei mais lá de cima, por que eu gosto de ao natural. O prédio tem uma pegada bem industrial, com os blocos de concreto aparentes.

haus_

Na Haus eles têm pratos, petiscos, sobremesas e algumas saladas. Nós pedimos várias comidinhas. Para começar, um Hot Dawg Haus (pão, linguiça artesanal alemã picante, catchup de curry, cebola na cerveja preta, picles e molho de mostarda e ervas – R$18). Muito gostoso e com um sabor bem marcante!

haus_cachorro_quente3

haus_cachorro_quente


Veja +

Villa Foria – Pizza de Alta Qualidade

Udon Cozinha Oriental – Recife


Também pedimos o Porkwich, que é um sanduíche de costela de porco defumada com queijo do reino, geleia de abacaxi picante (!!) e uma saladinha (R$18). Também muito bom e com a costelinha no ponto perfeito, se desmanchando na boca.

haus_cachorro_quente2

A porção de mini hambúrgueres (R$26) é bem deliciosa e o queijo primadona maçaricado faz uma diferença marcante no sabor. Para quem adora comidas maçaricadas (o/) esse hamburguinho é uma boa pedida. Também tem uma cebolinha puxada na cerveja preta que dá um toque agridoce.

haus_mini_hamburgers

Agora, se nada disso foi suficiente para o seu paladar exigente, prepare-se, pois eu deixei o melhor para o final. A coxinha de camarão com blend de queijos e crocante de gergelim (R$10). Sim, pode parecer infantil, pode parecer que eu endoidei, mas a coxinha é um evento. É tão boa, tão boa, que agora mesmo eu estou babando por ela que nós pedimos duas.

haus_coxinha_queijo do reino

No geral, gostamos do espaço. Atendimento legal, ambiente bem desenhado para a proposta industrial e descolada. O estacionamento conta com manobrista. Vamos voltar!


Haus Lajetop & Beergarden

Av. Herculano Bandeira, 513, Pina – Galeria Joana D’arc, 51110-131 Recife
Terça a Domingo – das 18h à 1h
+55 81 97333-4215


 

 

Sequência de fondue em Gramado – St. Haubert.s

Isto pode ser lido emPortuguês

This can be read in English

Esto se puede leer en Español

Quando se fala em Gramado, várias imagens vêm às nossas cabeças, mas uma das mais famosas é essa: uma mesa num restaurante agradável, iluminação discreta e reconfortante e panelas e panelas de fondues de queijo e chocolate circulando nas mãos dos garçons.

A sequência de Fondues é uma instituição quase obrigatória em Gramado (beirando a opressão, eu diria) e está se tornando uma oferta de quase todos os restaurantes da cidade, inclusive um PUB Irlandês (!!!). Nós, fãs confessos de queijos, fomos experimentar uma dessas sequências num dos restaurantes mais tradicionais de Gramado: O St. Haubert.S (Av. das Hortênsias, 1235).

hauberts gramado

A chegada foi super tranquila. Como é de costume, fomos abordados na calçada do restaurante e nos avisaram que o restaurante forneceria o transfer para o hotel gratuitamente, além de um desconto no valor do rodízio (sempre peça o desconto, mesmo que não ofereçam). Como já era a nossa escolha e estávamos sem carro, veio bem a calhar. Nos colocaram em nossa mesa, dissemos que queríamos a sequência de fondue e, rapidamente, trouxeram o couvert (algumas azeitonas, cebolinhas, uma pasta e outros pequenos appetizers).

fondue_queijo4_hubert

Não recomendaria aceitar o couvert, pois é opcional e as fondues são bem fartas. Além do mais, a panela recheada de queijos quentinhos chegou super rápido. Achamos a mistura bem granulada, diferente de outras fondues que já comemos, bem lisinhas, mas o sabor estava excelente. Infelizmente o pão servido era pão francês e estava mole. Se você já é iniciado no assunto Fondue, sabe como é difícil comer quando o pão está mole. Ele fica caindo dentro da mistura, você não consegue espetá-lo… O ideal é, mesmo, o pão italiano. Destaque para a goiabada servida para ser comida com o queijo e que faz a combinação doce-salgado mais fantástica do mundo.

fondue_queijo3_hubert

Após a fondue de queijo, veio a chapa de carnes, com diferentes tipos de proteínas e vários molhinhos. Gostosos, mas achamos um inconveniente: esse tipo de preparação exige que a gente coloque sal em cada pedaço de carne que a gente coloca na chapa. Nenhum problema, se não fosse o fato de que o saleiro era daqueles normais, que a gente sacode, sabe? Esses saleiros são famosos por entupirem e a gente tem que bater na mesa para desentupir. Agora imagina a cena: ambiente todo trabalhado na elegância e fidalguia e você esmurrando o saleiro na mesa como se fosse no bar da praia… Mas nada nos impediu de comer!

fondue_queijo2_hubert

Por último, e não menos importante, veio a nossa amiga amada: a fondue de chocolate! Chocolate meio amargo, delicioso, acompanhado de frutas fresquinhas doces e cítricas. Palmas para o chocolate que estava fantástico (mas, também, para errar o chocolate era preciso muita capacidade).

fondue_chocolate_hubert

O ambiente era muito bem decorado e bem cuidado, com referências a uma arquitetura campestre e toques que buscavam trazer alguma elegância para o espaço, como o lustre e alguns quadros. Claro que não faltaram as onipresentes peles em cima das cadeiras, mesmo sendo o salão climatizado para que ninguém sentisse o frio lá de fora. Marketing é a alma do negócio. Aqui, um destaque para a playlist que era absolutamente louca. Com ela, fomos de Vivaldi a Roberto Carlos

hubert2

 O atendimento foi muito atencioso e disponível. O único porém foi na hora da saída. Não nos ofereceram o transfer para o hotel espontaneamente e tivemos que pedir. E foi somente depois do garçom nos perguntar o que tínhamos consumido que o transfer começou a ser organizado. 15 minutos de espera e ele estava lá, pronto para nos levar até o conforto da nossa cama no hotel, que é tudo o que você vai desejar depois desse banquete.


St. Haubert.S

Avenida das Hortênsias, 1235, Gramado – RS




Booking.com

Translate »