7 Dicas para Voo Longo

Na hora em que você emite o bilhete é aquela alegria! Você fica naquele êxtase ANAC, você quer ligar pro seu melhor amigo pra compartilhar a boa nova, o accuweather vira a homepage do seu Chrome e você já sabe decorado o mapa de todas as cidades em que você vai pisar e, quem sabe, até daquelas que você só vai sobrevoar! O tempo passa, você já está gabaritado para assumir uma vaga de Uber em várias cidades, e chega a hora do embarque. Eis o momento em que você percebe o tamanho do problema que tem em suas mãos: vem um voo longo por aí!

E esse voo longo pode representar, facilmente, 12 horas ou mais! E, se você, como eu, for um exilado do Nordeste, acrescente mais 3 ou 4 horas até Guarulhos ou o Galeão para, só então, começar a viagem de verdade. Pronto. Sentiu o tamanho do drama? Aí vem a pergunta: como sobreviver a esse martírio aéreo, a esta Cruzada contemporânea? Pois muito bem, leitor de Serviço de Bordo não fica na mão nem de olho vermelho! Aqui vão nossas dicas para um voo longo!

1 Beba um pouco e vá dar uma volta!

Não, não estou mandando você encher a cara de álcool. O que você deve beber em abundância durante um voo longo é água! O ar mais seco do avião faz nosso corpo desidratar e piora os efeitos do jet lag. Então, de hora em hora, beba um pouco de água e vá dar uma volta pelo avião.

Em voos longos, evite ao máximo passar muito tempo sentado. Pense no escritório: você consegue passar um dia de trabalho sem se levantar para esticar as pernas? Então, por que você deveria passar tantas horas sem se mover propriamente no avião? Ficar sentando por longos períodos facilita a formação de trombos, o que pode desencadear uma situação séria de embolia. E isso vai acabar com a sua trip. Depois de beber a sua água, então, levante-se e vá dar uma volta. Não dá para levantar? Faça flexões de panturrilha elevando a perna até ficar na ponta dos pés. Sentado, mesmo. Eu faço 3 séries de 10 repetições. Isso ajuda a fazer o sangue se movimentar e evita maiores problemas para você!

2 Ouça pouco com seus fones mágicos

Toda companhia aérea que se preze distribui fones de ouvidos para os passageiros, mas sempre são de qualidade duvidosa. O segredo, então, é investir uma graninha em bons fones. Para mim, os melhores são aqueles over-ear (os que ficam por fora, daqueles grandões). E se forem canceladores de ruído, muito melhor.

Não ouvir os ruídos do avião lhe ajudam a relaxar e a cair no sono com mais facilidade. Nesse caso, eu sou acostumado a dormir com os meus fones grandões. Se você não consegue, invista em fones pequenos, internos, mas não vale os que vêm com o celular. A gente também tá falando de qualidade sonora! Uma boa pedida são os fones Quietcontrol 30 Wireless da Bose. Você consegue controlar o quanto do ruído externo deve ser cancelado, tem conexão bluetooth e NFC. Existem muitas marcas no mercado! Procure a que melhor se encaixa no que você precisa.

dicas para voo longo

Esses fones da Bose são fantásticos!

3 Viaje no fundão

Normalmente nossa tendência é escolher uma poltrona mais à frente da aeronave na esperança de desembarcar primeiro e sair daquele suplício de meio dia nos ares. Bem, isso faz sentido, mas de acordo com uma reportagem da Travel+Leisure, alguns comissários de bordo revelam que evitam atender aos passageiros nas primeiras filas de madrugada. Isso por que atender alguém na fileira 14 pode significar que dali para trás, todos podem querer a mesma coisa que o danado lá da frente e, certamente, não vai ter para todo mundo. Nessa, você pode ficar sem aquele travesseiro extra ou aquele cobertor a mais para se proteger do frio.

dicas para voo longoO 787-900 da KLM – sentar no fundo é uma boa dica para voo longo

A dica, então, é sentar mais atrás no avião, mais perto da áreas dos comissários. Apesar de representar mais tempo no desembarque, pelo menos você vai ter uma maior chance de ter seus pedidos atendidos com mais presteza.

4 Carregue o seu samartphone/tablet

Acostume-se a levar seus gadgets sempre carregados para seu entretenimento a bordo. Imagine passar as 12 horas de voo trancado com opções de filmes medianos e temporadas de séries de dois anos atrás! Carregue seu celular, encha com seus filmes preferidos e aproveite o voo. As companhias aéreas, inclusive, começaram a perceber essa tendência e estão avisando que vão deixar de oferecer a telinha individual em voos mais curtos. Pode ser um anúncio de uma coisa mais ampla no futuro.

Cias aéreas como a American Airlines e a LATAM passaram a investir no fornecimento de rede embarcada que você pode acessar através de um celular ou tablet e tem acesso ao sistema de entretenimento da companhia. Só é necessário baixar o aplicativo da empresa aérea (clique aqui para baixar o  da LATAM | Android)

dicas pra voo longoUsar o sistema de entretenimento para celular faz parte das nossas dicas para voo longo!

Nós testamos o sistema da LATAM e gostamos bastante! Inclusive, consegui fazer o download através da própria rede do avião, já lá em cima. O acesso é apenas para baixar o aplicativo e, em seguida, assistir às séries e filmes. Aí você combina isso com os filmes e séries que você levou e você está pronto para ir até o Japão!

5 Livre-se das malas!

Nada mais chato do que, após um voo longo, ter que ficar em pé esperando a mala. Isso se você conseguir um lugar perto da esteira, naquele episódio de TWD que vira a sala de desembarque. Então, a solução é desapegar e compactar os pertences em bagagens de mão.


Esse é o modelo Mala Bordo 360° Duet 2 da Sestini

As suas preocupações serão muito menores! Não corre o risco de perderem sua mala, você é o primeiro na fila do táxi (ou pelo menos não vai concorrer com o pessoal do seu avião), e você ainda se sente um vencedor na vida, pessoa sem amarras, uma alma evoluída!

6 Escolha o seu avião, capitão!

Pouca gente presta atenção nisso, mas muitas vezes as companhias aéreas operam uma mesma rota com mais de um modelo de avião. Isso pode significar que você tem a possibilidade de voar numa máquina mais moderna, de tecnologia mais atual, o que pode resultar em menos cansaço e mais conforto durante a viagem.

Saber escolher o avião é uma das nossas dicas para voo longo

O 787-900 da Boeing, por exemplo, promete menor ruído interno vindo dos motores e melhor condição do ar interno, com pressurização maior e maior humidade relativa do ar (cerca de 4 vezes mais que o disponível em outras aeronaves!), janelas maiores. Ou seja, uma breve busca pode fazer a diferença no comforto do seu voo longo. É bastante conhecer um pouco de aeronaves e buscar essa informação no site das companhias. A maioria delas fornece essa informação na hora da compra da passagem.

7 Monte um kit de sobrevivência

Se você vai passar horas voando, então melhor se preparar para enfrentar as condições de vida dentro de um avião. No avião faz frio, você tem pouco espaço para as pernas, o ar é bastante seco, nem sempre o vizinho quer fechar a cortina da janela, a poltrona é desconfortável, e por aí vai. Você, então, precisa montar um kit de sobrevivência!

Tirar os sapatos é uma constante em meus voos. Voar com sapato apertando o pé é o caminho para um voo infeliz. Tire os sapatos, fique de meias e circule assim pelo avião. Para isso, leve um par de meias limpo para trocar quando precisar colocar os sapatos novamente. Se andar de meia lhe parece uma ideia terrível, escolha um sapato fácil de colocar e tirar.

Um modelo Slip-On é o ideal para uma viagem. Esse é o modelo Floral Jacquard da VANS

Máscara para dormir também é uma excelente ideia, se você consegue dormir com aquele treco apertado em sua cara. Eu não consigo, mas isso não significa que você não deva tentar. Quando eu preciso muito tirar um cochilo no avião – eu não consigo dormir em avião – eu enrolo algum pano na cara. Minha tática tem sido viajar de casaco com capuz. Coloco o capuz na cabeça em cima dos olhos e foi!

Esse é o modelo Changing Tide Tank da VANS  – O capuz é ideal para aquela soneca no avião (não, esse post não foi patrocinado pela Vans. Quem me dera!)

Uma coisa que acontece bastante nesses voos longos são horas de conexão em algum aeroporto Hub no mundo. No nosso último voo, tivemos nada menos do que 9 horas esperando no aeroporto de Asunción, no Paraguai. Então, se você já vem de um voo de 15 horas e vai esperar mais 5 no aeroporto antes de seguir viagem, significa que você já está fora de casa há quase um dia! Um banho pode ajudar no estresse da espera. Nesse caso, prepare uma muda de roupas na mala de mão adequada para voar e tome uma ducha rápida, se no seu aeroporto for possível fazer isso.

No seu kit de guerra, inclua algum creme para as mãos, um protetor labial e um pouquinho de soro fisiológico, se o seu nariz for feito o meu, que sangra a qualquer umidade menor que os 95% recifenses. Existem embalagens desses produtos em tamanhos “viagem”, para você não ter problemas na hora do embarque.

 

 

 

Conhecer a gastronomia, conhecer um povo

gastonomia

Isto pode ser lido emPortuguês

This can be read in English

Esto se puede leer en Español

gastronomiaParrillada uruguaya no Mercado de Montevidéu

A gente viaja pelos mais diferentes motivos. Um dos mais fortes, para mim, é conhecer novas culturas, encontrar novas maneiras de viver, de fazer as coisas cotidianas, como comer, por exemplo. Sempre que viajamos, tentamos experimentar a culinária local, aquelas comidas nas quais os moradores se reconhecem. Comida com identidade e identificadora.

Conhecer a comida de um povo é conhecer o seu coração, as suas paixões.

gastonomia

gastonomia

Os nossos roteiros, portanto, incluem sempre a experiência gastronômica em suas mais variadas formas. Desde visitas a restaurantes famosos, como os que visitamos em Tiradentes, passando por botecos pés de escada, até um de nossos passeios favoritos: conhecer mercados, feiras e supermercados. Sim, supermercados, porque não? Se no restaurante a gente conhece o coração de um povo, é no supermercado que a gente reconhece a alma gastronômica dele. (A partir deste ponto, quando eu me referir a Supermercado, estenda aos Mercados e Feiras. Escolhi os supermercados porque estão em TODAS as cidades, por todos os lados, quando nem sempre há feiras ou mercados acessíveis ao turista).

gastonomiaVisitando o supermercado COTO, na Argentina, antes do segurança gritar: SIN FOTO!

É impressionante como uma visita ao supermercado de um local pode trazer informações interessantes sobre a sua cultura. Nesses estabelecimentos, encontramos as matérias primas que se transformam nas paixões de um povo, nas suas paixões mais básicas, corriqueiras, cotidianas, desprovidas de maquiagens ou firulas. No mercado, eu posso me encontrar com as raízes do povo. Especiarias, temperos, a presença maior de um determinado produto ou itens de produção local que não são vendidos em nenhum outro lugar. Ali eu posso estar dentro das casas das pessoas sem, no entanto, entrar nelas.

gastonomiaVariedades de Ervas-Mate no mercado de Porto Alegre

A Gastronomia de um povo é muito mais que uma questão de sabor, mas uma questão cultural, histórica. Como disse o outro (acho que foi Brillat-Savarin), “Diz-me o que comes, dir-te-ei quem és”. O que uma gente come é o retrato de um espírito local.

Além de tudo, os supermercados já nos renderam boas e péssimas lembranças culinárias. Eu já trouxe de minhas viagens comidas deliciosas como as massas originais de empanadas que vieram da Argentina ou o MARAVILHOSO molho de pimenta Sriracha, diretamente de Nova Iorque. Tive, também, a infelicidade de comprar uma mistura para cheesecake, em Buenos Aires, que só serviu para a foto e foi direto para o lixo (foi mal aí, Argentina, mas devia ter vindo na caixa que era “Aroma de plástico” ¬¬). Conhecer essas comidas prontas também me faz refletir sobre a sociedade que a produz e consome. Basta comparar a imensa quantidade de produtos congelados ou “fáceis de fazer” nos mercados americanos com a mania de praticidade daquele povo. No caso da Cheesecake argentina, descobri, rapidamente, que eles não gostam de doces tão doces quanto nós, brasileiros, por exemplo.

gastonomiaBelo, mas ordinário (a foto nem está boa, mas não podia deixar de mostrar)

Essas experiências, portanto, nos deram a oportunidade de participar daquelas culturas no seus íntimos, conhecer o que as pessoas daqueles lugares compram para comer com suas famílias, nas suas casas, nos seus dia-a-dias ou em seus momentos de comemoração. Conhecer e participar da gastronomia de um lugar é ser parte daquele lugar. É, talvez, o mais próximo que podemos chegar da experiência de ser um “local”.


Você costuma visitar feiras, mercados ou supermercados nos lugares que visita? Tem alguma história legal para contar? Compartilha aí nos comentários com a gente! =D


Vai viajar? Que tal reservar seu hotel com o Booking.com? Cada vez que você reserva seu hotel através do Blog, nós recebemos uma comissão e você não gasta nada a mais por isso! Viu que maneira legal de ajudar a gente? =D


Novo padrão de malas a bordo

novo padrão de malas

Isto pode ser lido emPortuguês

This can be read in English

Esto se puede leer en Español

Todo viajante sabe: a fila do check in é um tortura sem saber se o atendente da companhia aérea vai empombar – injustamente – com a nossa pequena bagagem de mão composta de uma malinha simples + uma mochilinha de costas + um casaquinho pro frio do avião, um travesseirinho de bordo e, às vezes, um eventual lanchinho.

Pois muito bem, a International Air Transport Association – IATA, associação da qual você nunca tinha ouvido falar, provavelmente, quer criar um novo padrão de malas que podem ir a bordo. Em um trabalho conjunto com empresas de transporte aéreo e fabricantes de aviões, a IATA definiu um tamanho que seria o ideal para o espaço interno das aeronaves.


Veja +

Cota em Viagem Internacional

Colômbia – 10 Motivos para Visitar

Cartagena de Índias – A Joia do Caribe Colombiano

San Andrés, Colômbia – Caribe Inexplorado e Apaixonante


Nas empresas aéreas brasileiras, atualmente, as dimensões da mala a bordo não podem somar 115 cm (largura + altura + profundidade). O problema está no fato de que, desde que a mala some 115 cm em suas dimensões, ela pode ter qualquer formato! E isso pode dificultar sua vida na hora de encontrar uma vaguinha dentro do avião para colocar sua mala…

DIMENSOES DA MALA A BORDODimensões mais comuns aceitas atualmente nos voos brasileiros

O novo padrão, no entanto, tem 55cm de altura x 35 cm de largura x 20cm de profundidade, ou seja, 39% menor que as malas que hoje a maioria das empresas aéreas consideram malas “a bordo”. A Associação defende que esse novo padrão mundial de mala facilitará o embarque dos passageiros, uma vez que a ideia é criar um selo “Carry-on OK“, que viria estampado na mala e “liberaria” a mala para ir embarcada, sem necessidade de passar por aquele estressante momento de medir a mala de mão na hora do check-in.

Mas, atenção! O padrão é uma sugestão (além de ser, ainda, apenas um ideia em discussão) e as companhias aéreas não têm obrigação de acatar a medida, mas empresas como Azul, Avianca e Lufthansa já demonstraram interesse em adotar o padrão. As empresas ficam livres, inclusive, para permitirem malas maiores, até como uma medida de competitividade e diferencial no mercado.

Claro, se pensarmos no nosso lado, fica muito mais fácil saber qual mala é aceita e qual não é, na hora de comprar uma mala nova. Aquela ansiedade da fila, portanto, não teria mais motivo para existir, uma vez que teremos malas “certificadas”. Então, na sua próxima viagem, pode ser que a sua malinha querida que tanto já salvou seu tempo em aeroportos mundo afora não seja mais aceita como mala de mão. Mas, claro, isso ainda não é regra. Portanto, vamos aproveitar enquanto ainda é tempo, até termos que ser obrigados a comprar novas malas dentro do padrão…

 

Com informações do jornal

O Estado de S. Paulo


 

Vai viajar? Que tal reservar seu hotel com o Booking.com? Cada vez que você reserva seu hotel através do Blog, nós recebemos uma comissão e você não gasta nada a mais por isso! Viu que maneira legal de ajudar a gente? =D

Follow Blog Serviço de Bordo’s board [ILUMINAR] on Pinterest.

Colômbia – 10 motivos para visitar

Isto pode ser lido em Português
This can be read in English
Esto se puede leer en Español

A Colômbia é um país lindíssimo, de uma cultura riquíssima e um povo amabilíssimo. Assim mesmo, tudo no superlativo, porque é um lugar surpreendente. Confesso que fiquei bem receoso quando Dani me propôs o país como destino de umas férias, mas me rendi e fui. Só posso dizer que foi paixão à primeira desembarcada e aquela terra ocupa um lugar especial em nossos corações desde então.

Aí a gente resolveu listar 10 coisas que nos fizeram amar de cara a Colômbia e que, temos certeza, farão você amá-la também! Confere aí!

 

10 motivos para visitar amar a Colômbia

1. Conhecer a – bem preservada – arquitetura colonial espanhola de Bogotá

Bogotá tem um centro histórico com edificações bem preservadas e que transmitem o ar da Colômbia espanhola, com seu casario de edificações com balcões em madeira ou pedra, com os típicos trabalhos de madeira talhada. Realmente, andar por essas ruas é como voltar no tempo e poder admirar a arquitetura dos colonizadores europeus e traços de influência da cultura mourisca, do tempo da dominação dos Mouros sobre a península Ibérica.

centro historico bogota

2. Visitar o Museo del Oro de Bogotá

Em Bogotá e em Cartagena, há o Museo del Oro, que concentra boa parte da produção dos ourives que habitavam aquela região antes da chegada do colonizador europeu. Visitar o museu lhe dará uma dimensão da riqueza cultural e da destreza manual daqueles artistas, bem como lhe fará mergulhar na cultura Muísca.

museo del oro

A exposição é montada de maneira a lhe levar a compreender a história da formação da Colômbia e os ritos e costumes que se expressam até hoje. Destaque para a “Sala das Oferendas”, que conta com uma montagem especial de luzes e sons e que exibe as peças de ouro encontradas na Laguna de Guatavita e que, dizem, deram origem à lenda do El Dorado, uma cidade que, acreditava-se, seria feita inteiramente de ouro. Recomendadíssimo!

museo del oro

3. Conhecer a impressionante Catedral de Sal em Zipaquirá

Próximo a Bogotá, fica a cidade de Zipaquirá. Nessa cidade, existe uma antiga mina de Sal desativada e que foi transformada em uma Catedral subterrânea impressionante. A igreja apresenta a via crúcis, com cruzes esculpidas em pedras, e diversas naves, com um projeto luminotécnico bem cuidado e que valoriza o ambiente.

Ao caminhar, dá para ver o sal brotando das paredes. Você pode, inclusive, provar! Por que eu faria isso?, você pergunta. Não sei, mas eu provei, claro! Salgado… O ambiente é úmido e um pouco abafado e nós vimos gente desistindo logo na entrada porque sofria de claustrofobia. Mas, eu acho que não é para tanto.

 

catedral de sal2

Corredores minando Sal - Catedral de Sal, Zipaquirá
Corredores minando Sal – Catedral de Sal, Zipaquirá

catedral de sal zipaquirá

 

4. Se encantar com o magnífico Alumbrado Navideño em Medellín

De meados de Novembro, até o início de Janeiro, a cidade de Medellín se orgulha de exibir o que eles chamam de a maior decoração de natal do mundo. Eu não sou muito íntimo das decorações de natal mundo afora, mas posso afirmar: a de Medellín é gigantesca.

São milhões de luzezinhas decorando o centro da capital e diversos parques por toda a cidade. O Alumbrado é um verdadeiro evento na cidade de Medellín. Barracas de comidas típicas, cerveja barata em copos generosos e atividades culturais como apresentações de bandas e exibição de filmes em telas d’água completam o festival. Parece o carnaval de tanta gente nas ruas! Devo dizer que, como mau olindense que sou e que foge do carnaval anualmente, foi a única coisa que me desagradou. Mas há percursos que você pode fazer sem ir na multidão. Nós que tivemos a belíssima ideia de ir caminhando na beira do rio (nós e toda Medellín). Pelo meio da rua é BEM mais tranquilo e dá para levar crianças, inclusive.

alumbrado em medellin
Mais de 14 milhões de luzezinhas no Natal de Medellín, na Colômbia

alumbrado em medellin 2

5. Visitar o Museo Botero e o Parque Explora em Medellín

 

Medellín já foi considerada a capital do tráfico de drogas da Colômbia, e por muitos anos sofreu com o medo causado por seu famoso habitante Pablo Escobar. A coragem do governo em enfrentar o tráfico de frente fez de Medellín uma cidade adorável e que merece ser conhecida.

Lá está o Museo Botero, que exibe obras famosas do igualmente mundialmente famoso artista Fernando Botero. Em frente ao museo, há uma exposição em praça pública de 23 peças doadas pelo artista à sua cidade natal.

Dani e Botero
Museo Botero, Medellín – Colômbia
Colombia
Peça doada por Botero à cidade de Medellín

É em Medellín, também, que você vai encontrar o Parque Explora. Uma área destinada ao conhecimento, com diversas atrações de experimentos científicos, de acesso gratuito, e uma edificação com aquário, herbário, exposição de insetos e mais experimentos científicos, de entrada paga.

É divertidíssimo interagir com as geringonças e visitar as exposições, além de admirar a belíssima edificação contemporânea, com suas linhas angulosas e revestimento inusitado. Uma vez aí, não deixe de visitar, também, o Planetário da cidade.

Parque explora medellin
Divertidíssimo Parque Explora em Medellín – Colômbia
colombia
Exposição no interior do Parque Explora
Até hoje, não entendi o propósito desse experimento. Mas era muito divertido! \o/
Jamais entendi o propósito desse experimento. Mas era muito divertido! \o/

6. Se misturar na explosão de cores de Cartagena de Índias

 

Cartagena é uma joia do Caribe! No norte da Colômbia, a cidade é uma profusão de cores em todos os matizes. Edificações muito bem conservadas – e em constante manutenção – fazem da ciudad amurallada uma viagem no tempo, para uma Colômbia colonial, com prédios de dois pavimentos e seus inconfundíveis balcões.

É interessante notar como a cidade aglutinou novos usos às edificações antigas sem destruí-las ou destituí-las dos seus valores históricos e culturais. O clima, sempre agradável, contribui na tarefa de se inserir naquela atmosfera de alegria, descontração e conteúdo histórico. Cartagena tem frutas, tem música, tem ouro, tem esmeraldas e tem mar do Caribe a poucas horas de viagem.

centro historico cartagena

 

cartagena

cartagena 2

bolsas de cartagena

7. Experimentar uma Limonada de Coco

Uma instituição colombiana, presente em 10 de 10 restaurantes. Lhes apresento a Limonada de Coco! Aí você pode pensar: certo, mas é uma limonada… Com leite de coco… Não, caro leitor, eu não acho que seja (talvez até seja), mas o que vale é a experiência de provar essa iguaria absurdamente refrescante num ambiente que exala tropicalidade. Você não pode deixar o país sem experimentar essa maravilha que é a Limonada (limonaaaaada, como me corrigiu uma garçonete gente boa) de Coco.

limonada de coco

8. Tomar um bom café da manhã com Jugo de Lulo y Pan de bono

Uma experiência cultural só é completa, para mim, quando ela inclui uma incursão por algum elemento da gastronomia local. Nosso hotel em Cartagena não oferecia café da manhã, e isso nos fazia ir todos os dias à padaria da esquina, o que nos levou a descobrir o Pan de Bono, uma espécie de pão de queijo feito com massa de mandioca. O sabor e a textura são semelhantes, mas não deixam de ser únicos. Acompanhando, peça um suco de Lulo, um fruto típico da região e que faz um suco delícia, bem leve e refrescante.

Não deixe de experimentar, também, as famosas arepas de queso, que são uma espécie de massa assada recheadas com queijo e manteiga vendidas por toda a Colômbia. São bem deliciosas!

cafe da manha com pan de bono
Pan de Bono acompanhado de Suco de Laranja e Suco de Lulo

 

pan de bono

9. Conhecer um Caribe acessível e encantador

 

A cerca de 700 km da costa da Colômbia, há uma ilhota no meio do mar do Caribe ainda começando sua exploração pela indústria do turismo de massa. É a Ilha de San Andrés, com seu mar de sete cores, preços acessíveis e comércio com isenção fiscal.

Na ilha, você pode se acabar nas compras sem impostos, aproveitar um solzão tropical ou praticar mergulho naquele deslumbrante mar caribenho repleto de peixinhos e corais coloridos.

San Andres
O Mar de Johnny Cay – Ilha de San Andrés

10. Mostrar que o real perigo da Colômbia é querer ficar para sempre

 

Como parte do esforço de mudar a concepção do Mundo em relação à Colômbia, o governo fez uma ação de marketing em que colocava que “o real perigo é querer ficar”, no intuito de explicitar que a Colômbia é um lugar encantador e que o país não é o palco da terceira guerra mundial. Claro, há perigo? Há, sim. As FARC ainda são uma ameaça presente e atuante no território colombiano, mas eles agem, na maioria das vezes, nas áreas de selva e pouco adensadas. Revolucionário nenhum invade as grandes cidades colombianas para tocar o terror. Não é Cangaço, minha gente!

Obviamente você deve tomar cuidados. Nos nossos deslocamentos entre as cidades, só usamos avião. Uma medida cara, mas necessária para garantir nossa segurança. Mas, dentro das cidades, nunca nos sentimos tão tranquilos e seguros. Caminhamos com câmeras fotográficas, fomos à favela em Medellín e estamos aqui, são e salvos para contar a história.

Então, eu só posso terminar esse post com uma recomendação: VÁ À COLÔMBIA!

E você? Já foi à Colômbia? Tem dicas para a gente? Conta aí! A gente adora ouvir as histórias!

 Vai viajar? Que tal reservar seu hotel com o Booking.com? Cada vez que você reserva seu hotel através do Blog, nós recebemos uma comissão e você não gasta nada a mais por isso! Viu que maneira legal de ajudar a gente? =D

São Luiz do Paraitinga – História e diversão no interior de São Paulo

 

São Luiz do Paraitinga

Olá, leitores! É uma honra começar a dividir minhas experiências de viagens com vocês. Tenho certeza que trocaremos muitas dicas e que também vou descobrir muita coisa bacana com vocês. Meu primeiro post será sobre minha viagem mais recente: São Luiz do Paraitinga, munício do interior de São Paulo.

São Luiz do Paraitinga é uma daquelas cidadezinhas que te proporcionam uma verdadeira viagem no tempo com apenas poucas horinhas de estrada. Localizada a apenas 171Km de São Paulo, é possível chegar de carro no município muito rápido, e em segurança, através da Dutra.

São Luiz do Paraitinga

São Luiz do Paraitinga
Ruelas cheias de casinhas históricas em São Luiz do Paraitinga
 Já tinha muita vontade de conhecer São Luiz desde os tempos em que trabalhava na Secretária de Estado da Cultura, que promoveu a reconstrução de vários prédios históricos, que foram abaixo numa grande cheia que a cidade enfrentou em 2009.
Meu marido também vivia falando do lugar por causa da Cachaçaria Mato Dentro, que produz, segundo ele e um ranking da Playboy, uma das melhores cachaças do país.
 Pois bem, tirei uma folga e fomos pra uma aventura de 24h na cidade eu, ele e minha mãe que veio passar o meu aniversário comigo. E São Luiz não decepcionou.  Tombada como Patrimônio Cultural Nacional, a cidade oferece história, cultura, arquitetura, culinária caseira e muitas atividades ao ar livre.  Dá só uma conferida nas nossas dicas para aproveitar o máximo dessa cidadezinha charmosa e convidativa!

Cachoeira Grande

Foi nosso primeiro destino, antes mesmo de irmos ao centro histórico da cidade. Eu estava completamente obcecada por um banho de cachoeira. A cachoeira grande não fica exatamente em São Luiz, fica em Lagoinha, município vizinho, localizado a 20km do centro. Super rapidinho pra chegar de carro.
São Luiz do Paraitinga
Cachoeira Grande em São Luiz do Paraitinga
São Luiz do Paraitinga
A blogueira num momento Selfie =D
O local fica numa propriedade privada e é bem turístico, nada daquelas cachoeiras muito desertas e intocadas (o que é maravilhoso), mas o lugar é super bem cuidado, pelo menos no dia que fomos não estava muito cheio e ainda te oferece uma infra de restaurante, banheiros, tirolesa e rapel. Programa pra curtir com toda a família.

Igreja Matriz São Luis de Tolosa

A típica igreja de interior onde tudo acontece em torno dela. É uma catedral bem simples, mas que tem um charme todo particular. Principalmente com um olhar mais amplo, incorporando ela a paisagem da praça e, por sua vez ao coreto central. Tem imagem mais pitoresca?
 São Luiz do Paraitinga
A igreja foi derrubada na enchente, mas felizmente foi reconstruída e continua reinando absoluta. A noite, é comum ver os moradores nos botecos do entorno tocando moda de viola e comendo os lanches dos carrinhos que ficam na praça. Vale a pena um bate papo com um dos moradores da cidade, pois eles são super solícitos e receptivos.
 

Conjunto histórico do Largo do Teatro

Uma das partes mais fofas da cidade, me lembrou muito Olinda. É impressionante como preservar a arquitetura do lugar faz tudo ficar diferente. No local, funcionam algumas lojinhas de artesanato. Mas a visita vale mais pela beleza do local do que exatamente pelo souvenirs.
São Luiz do Paraitinga
Largo do Teatro em São Luiz do Paraitinga

Casa Oswaldo Cruz

É a casa onde nasceu o médico sanitarista Oswaldo Cruz, e onde ele passou a infância. O casarão de 1834, mantém as características da época, e abriga um centro cultural. Como fomos numa segunda-feira, o local estava fechado.
São Luiz do Paraitinga
 

Destilaria Mato Dentro

Localizada a mais ou menos 6 Km do centro de São Luiz (pegando a estrada sentido Taubaté), a famosa cachaçaria se tornou um dos pontos obrigatórios de visitação – e não somente pra quem curte degustar a branquinha. A cachaça de lá foi premiada diversas vezes em concursos especializados e é considerada uma das 10 melhores do país. Além de poder adquirir os produtos lá mesmo (cachaça branca ou dourada, aguardente, licores…) com preços modestos a partir R$ 8,50, os visitantes são convidados a conhecerem todo o processo de fabricação e também a degustar a bebida.

cachaçaria3

São Luiz do Paraitinga

São Luiz do Paraitinga

dicas e descobertas Dicas e Descobertas

 Onde Comer

 

Cantinho dos Amigos

Jantamos no restaurante  por recomendação de um dos funcionários da pousada e realmente foi uma boa pedida. Pizza de forno a lenha com manjericão fresco é muito amor. Ainda provamos drinks bem interessantes. Preço super honesto. Média de R$70 para três pessoas.

Tempero da Terra

Almoçamos uma comida regional de tirar o fôlego. Leitão à Pururuca, linguiçinha de porco caseira, tutu de feijão, torresmo, couve com farofa de bacon.. aquela comida “levinha” e deliciosa que só o interior pode fazer por você. Preço sucesso R$80 para três pessoa com direito a trazer marmita pra casa.

Doce Recanto

Chocolate quente com Nutella e tortinha caseira de frango é a pedida. O lugar tem vários quitutes gostosinhos. Cafeteria pequeninha e aconchegante. Vale uma parada no final da tarde.

Hospedagem

Chegamos sem reserva prévia e, como a diária seria de um domingo para segunda, achamos que não teríamos problema para conseguir vaga. Porém, é comum em alguns domingos do ano, as pousadas – principalmente do centro – fecharem para manutenção. Portanto, programe-se antes de partir para lá! Nossa intenção era ficar dentro do centro histórico para facilitar a nossa locomoção, mas a cidade é tão pequenininha que ficar um pouco mais afastado não deve ser exatamente um problema. Aliás, não foi. Caminhar pelas ruas históricas é uma delícia!

Visitamos a Pousada Paraitinga, que é um mimo e fica bem no centro, mas infelizmente estava fechada para manutenção.

Acabamos ficando na Pousada Ápice, localizada um pouquinho fora – mas bem do ladinho – do centro e numa parte mais elevada do lado do Rio.

São Luiz do Paraitinga
Quarto da pousada Ápice – Simples, mas honesta

Achamos o custo-benefício muito bom. A diária saiu pela bagatela de R$ 60 por pessoa (pegamos dois quartos). Dá pra notar que a pousada é meio antiguinha, precisa de manutenção em alguns espaços, mas nos serviu perfeitamente. Cama legal e chuveiro quente, piscina… Ainda tivemos café da manhã incluso. Sucesso.

Mais hospedagens em São Luiz do Paraitinga

Pousada Araucária

A Pousada Araucária está situada em um belo parque, a 600 metros do centro da cidade de São Luís do Paraitinga, e oferece piscina, bar e café-da-manhã. Os quartos contam com Wi-Fi gratuito e varanda térrea, que oferece vista das montanhas.

Pousada Asa do Vento

A pousada conta com amenidades como WiFi disponível e quartos com varanda e redes. Lindíssima a pousada!

Pousada Fazenda São Luiz

Localizada em meio às montanhas verdes do Vale do Paraíba, a propriedade faz parte de uma fazenda histórica que remonta a 200 anos atrás. Há WiFi disponível gratuitamente e os quartos oferecem vista para a montanha ou para o jardim.

 

 Vai viajar? Que tal reservar seu hotel com o Booking.com? Cada vez que você reserva seu hotel através do Blog, nós recebemos uma comissão e você não gasta nada a mais por isso! Viu que maneira legal de ajudar a gente? =D

Dicas de Fotografia para Viajantes!

Viajar é uma das coisas mais empolgantes e divertidas que existem! A gente conhece novas pessoas, novos lugares, experimenta novas comidas! E a melhor maneira de registrar tudo isso é através da fotografia. Então, conhecer um pouquinho melhor nossa câmera / celular vai nos ajudar a fazer melhores capturas. Isso e prestar atenção nas nossas dicas, né? =D

Vejamos, então, algumas dicas!

Enquadre!

Toda fotografia deve começar com a composição da cena. Escolher o que vai entrar na foto, como os elementos vão estar dispostos, quem vai ocupar mais espaço na foto, e etc. Em geral, a gente tende a centralizar o motivo no quadro fotográfico e simplesmente disparar. Ok! Para algumas situações, essa composição vai ser agradável, mas eu sempre acho mais difícil trabalhar com fotos centralizadas, por que elas trazem em si uma ideia de simetria e isso é muito complicado de organizar. Então, se você não tiver a intenção de criar uma fotografia com esse aspecto – de simetria – fuja dessa composição, por que a possibilidade da foto ficar sem graça é enorme!

O Obelisco marca o encontro das Avenidas Corrientes e 9 de Julio

O Obelisco marca o centro da fotografia, definindo um eixo bem claro e dividindo a foto em duas partes, mais ou menos, iguais.

Então, como tornar a imagem mais interessante? Existe um método de composição bem antigo e que a gente pode lançar mão para produzir nossas fotos em viagens. É a regra dos terços. Você já deve ter percebido que a sua câmera ou o seu celular oferece a opção de ligar ou desligar a “grade” (ou grid) e talvez você tenha sempre se perguntado para que danado servia aquilo. Se você tem alguma intimidade com os programas de edição de imagens para celular, como o Instagram (Android | iOs) ou o VSCO cam (Android | iOs), você já deve ter visto esse grid por lá, também.

Bem, aquilo nada mais é do que um guia para você enquadrar os elementos de sua foto e, acredite, vai fazer suas fotos ficarem muito mais interessantes! O “segredo” está em colocar os elementos mais importantes da fotografia próximos aos pontos de encontro desse “grid”, conhecidos por “pontos de ouro“.

As linhas da grade podem lhe ajudar, ainda, na tarefa de alinhar o horizonte, evitando aquela foto em que o mundo parece estar inclinado.

Aplicação da regra dos terços e dos "pontos de ouro" nessa vista horrível do Caribe colombiano (esse post ainda está por vir!)

 

Aplicação da regra dos terços e dos “pontos de ouro” nessa vista horrível do Caribe colombiano (esse post ainda está por vir!)

Foco na foto!

Não adianta apenas colocar o objeto mais para a esquerda ou mais para a direita. Às vezes, o que queremos fotografar está num ambiente tão poluído visualmente que mesmo o deslocando para lá e para cá não é suficiente para deixa-lo fotogênico. Assim, a gente pode lançar mão do controle seletivo de foco. O nome é grande, mas a atividade é simples e você já deve fazer intuitivamente.

Foco no primeiro Plano. Destaque para o objeto e desfoque do fundo.

Foco no primeiro Plano. Destaque para o objeto e desfoque do fundo.

Isso nada mais é do que controlar a área nítida da imagem e a área desfocada, para dar destaque àquilo que está na área focada. Algumas câmeras possuem o controle de foco por pontos, permitindo escolher qual a área que ficará mais focada e aquela que ficará toda “borrada”. Em alguns modelos de celular, ainda, é possível escolher o local do foco ao clicar na tela no ponto desejado.

Foco no plano de fundo. Uma noção de "enquadramento" e profundidade.

Foco no plano de fundo. Uma noção de “enquadramento” e profundidade.

Entretanto, algumas vezes, mesmo escolhendo o local do foco, a câmera ou celular não são capazes de gerar imagens com o foco restrito (isso tem a ver com a abertura do diafragma, distância focal da lente e outros quesitos que não cabem aqui nesse post)… Então, um truque que funciona legal – tanto para a câmera fotográfica quanto para o celular – é aproximar a câmera do que se vai fotografar. Quanto mais perto, mais você vai conseguir controlar o foco.

Assim, você vai conseguir dar mais ênfase ao seu objeto fotográfico e, ainda por cima, produzir uma imagem bem mais bonita, com efeito “profissional” – palmas pra você!

Fotografia Noturna

A fotografia noturna vai exigir da câmera uma configuração em que ela permaneça por um tempo maior registrando a imagem. Isso quer dizer o quê? Que você precisa manter a câmera o mais estável possível para que essa fotografia não saia tremida. Um tripé é o ideal, mas nem sempre se dispõe de um. Então, a saída é se apoiar num pilar, numa cadeira, num corrimão, ou então, comprar um desses mini tripés com hastes flexíveis que lhe permitirão apoiar a câmera numa base estável sem ter que se preocupar se a beira da mesa vai sair na foto…

Fotografia noturna monocromática. Longa exposição e firmeza na câmera.

Fotografia noturna monocromática. Longa exposição e firmeza na câmera.

Dica! O modo noturno também pode ser útil para conseguir efeitos “artísticos” como aquelas fotografias em que o fundo está estático e as pessoas estão borradas, dando uma ideia de movimento. Aliás, todos os recursos prefixados nas câmeras e celulares – como aquelas cenas de “praia”, “neve” e etc. – podem ser utilizados para além das finalidades primeiras, sempre numa investigação artística! Explore os recursos do seu equipamento e se divirta!

Fotografia com profundidade

Quando a gente viaja, a gente visita cidades e prédios, certo? E esses objetos são umas das coisas mais interessantes de se fotografar. Há pessoas se movimentando, ruas, carros. Tudo isso acontecendo em um ambiente tridimensional. Então, não dá para continuar tirando fotos “chapadas” de cidades e edificações! Vamos tirar fotos sugerindo uma profundidade! Mas, como faremos isso?

Com o tempo, você vai começar a ter um olhar mais treinado (todo mundo que se coloca diante de uma câmera fotográfica tem que treinar o olhar) para identificar os elementos da cena antes de fazer a fotografia. Você vai perceber que as cidades e os edifícios possuem “linhas naturais” que devem ser capturadas para dar mais interesse à sua fotografia. Essas linhas dão a impressão que convergem para um ponto em comum (que a gente chama de ponto de fuga) e isso dá a impressão de profundidade.

Linhas de força da imagem reforçando a noção de profundidade.

Linhas de força da imagem reforçando a noção de profundidade.

Dica 1 – Enquadrar uma pessoa entrando ou saindo da cena também vai aumentar o interesse da foto e reforçar, ainda mais, a sensação de profundidade.

 

Dica 2 – Tente enquadrar de modo a parecer que as linhas “continuam” para fora da foto. Isso também vai reforçar a noção de profundidade.

Escala humana

Quando vemos uma imagem, nosso olho busca referências visuais para “medir” os elementos da cena. E ele busca coisas de tamanhos conhecidos para fazer essa “medição”, como cadeiras, por exemplo. Então, enquadrar esses elementos é fundamental para dar a noção de escala. Isso é particularmente interessante quando estamos fotografando o interior de uma edificação.

Como eu imagino que você não vai sair por aí viajando carregando uma cadeira de estimação, a maneira mais fácil de fornecer uma noção da escala dos elementos é enquadrar uma pessoa na cena. As pessoas têm tamanhos relativamente similares e isso fornece ao olho uma medida segura para mensurar o tamanho das coisas na cena fotográfica.

A pessoa na foto nos dá uma ideia aproximada do objeto fotografado.

A pessoa na foto nos dá uma ideia aproximada do objeto fotografado.

Então, é isso, gente! Espero que esse post possa ajudar vocês nas suas fotografias! Quem tiver dúvidas, pode mandar que eu respondo!

Boas Fotos!

Translate »