O que fazer no Porto, Portugal: 5 dicas

Ah, meus amigos! Hoje estamos de volta com umas dicas para vocês que estão de viagem marcada para Portugal. E se vocês vão visitar aquele país, tem duas cidades que não podem faltar no seu roteiro: Lisboa e Porto. Lisboa não tem como escapar, já que é por lá que você vai chegar, provavelmente. Mas, pense numa passagem de trem que vale a pena, é aquela até o Porto. Ô cidade bonita! A danada é moderna, grande, mas tem seu charme, seus mistérios ( ͡° ͜ʖ ͡°), e umas coisas surpreendentes, como a biblioteca que inspirou Harry Potter e a delícia-do-universo-todo Francesinha – um lanche ogro que você vai adorar.

Então, pega a caneta e anota essas dicas que eu vou te dar agora! (Pode ser um print da tela do celular também que a gente é moderno)

Dica 1 – Visitar Igrejas

Já viu quantas igrejas tem no Brasil? Agora, imagina quantas tem no país de origem do povo que veio para cá e construiu essa ruma de igrejas?! Pois bem, se tem um povo carola nesse mundo é o Português, e o Porto não foge a essa tradição e tem uma igreja por cima da outra. E elas são lindas! Destaque para a Catedral e a Torre dos Clérigos. É um passeio ungido. Tá amarrado!

O que fazer no Porto: Visitar a Torre dos Clérigos

Fachada frontal da Catedral do Porto


Interior da Sé do Porto

OBS.: aproveite que está nesse passeio abençoado e faça uma prece para não levar cagada de andorinha no meio da andança, por que Ô CIDADE PARA TER ANDORINHA! Vai-te!

2 Conhecer a livraria do Harry Potter

Como é de conhecimento universal, a autora de Harry Potter, J. K. Rowlling, morou em Portugal por alguns anos e, segundo ela, muito de sua inspiração para o personagem veio daquele Pernambuco-na-vertical. Não sei se você é fã ou não (se não for, deveria ser!), mas é emocionante entrar na livraria Lello e Irmão e perceber em cada detalhe a inspiração para o mundo de Harry. A escadaria é o ponto alto da livraria e vai ser bem concorrido para tirar uma foto nela. Some-se a isso que a livraria, que não é besta nem nada, atola produto de Harry Potter nas suas prateleiras só para fazer você gastar seus ricos eurinhos num monte de buginganga maravilhosa que não serve para nada, mas que você vai adorar ter. A livraria cobra uma entrada (5,50 Euros), que você compra no anexo que fica na esquina ou online, mas que pode ser convertido em desconto, caso você resolva comprar algo. Você vai comprar. Acredite.

O que fazer no Porto: Conhecer a Escadaria de Hogwarts

3 Atravessar a Ponte e visitar uma Cava

“Do outro lado do rio, fica uma cidade, que na mocidade eu visitava todo dia (…) Petrolinaaa, Juazeiroooo”

A ponte Luís I liga a cidade do Porto à cidade de Vila Nova de Gaia e vale muito a pena atravessar a danada. Melhor ainda se for a pé! E o motivo de atravessar essa ponte não poderia ser melhor: é em Gaia que ficam as cavas dos melhores vinhos do Porto. Aí você atravessa, gasta umas calorias, tira umas fotos bem gatinhas pro IG, chega lá do outro lado e vai dar de cara direto com a Cava da Cálem. Vá nessa. É a que tem a melhor estrutura e a que fabrica um dos melhores portos, na minha opinião: o Velhotes. A visita é paga e com hora marcada. Vale a pena chegar com um pouco de antecedência, mesmo por que isso é importante para a minha próxima dica valer alguma coisa.

Mas é chique, com um Porto na mão, né? Ô Menina linda, essa esposa!

4 Comer um bom bacalhau em Gaia

Muito bem! Como você seguiu a dica desse blog espetacular e chegou mais cedo para a visita na Cálem, aproveite o tempo que tem sobrando e vá até a Taberninha do Manel comer um maravilhoso bacalhau. Essa aqui é dica de morador local, hein? A Taberninha do Manel é velha que só a fome e vende um bacalhau fantástico. Nós pedimos pastéis (bolinhos) de bacalhau, Bacalhau na nata e Bacalhau à Braga. É bom chegar com antecedência, por que demora um pouco pra os pratos chegarem. Aí você aproveita a vista para o Porto, que é linda. Mas vai roncar a barriga por que demora mesmo, mas vale a pena. Aliás, pule o bolinho, que não é nada demais, e vá para o bacalhau na nata, que é fenomenal. Ele é servido desfiado com batatas cortadas em cubinhos pequenos em uma travessa e assado no forno. Serve bem duas pessoas não ogrinhas. Para pessoas ogrinhas, favor pular para a próxima dica, obrigado.

O que fazer no Porto: Experimentar o Bacalhau na Nata do véi Manel

5 Experimentar a famosa Francesinha

Caso o negócio seja ser ogro, nada melhor do que a comida que os portuenses batizaram com o singelo nome de Francesinha. Mas veja bem, de inha não tem nada (talvez ogrinha…). É um sanduíche típico da região e que, dizem, ser a leitura portuguesa do Croque Monsieur francês. É um sanduba de dois andares de pão de forma com salsicha, presunto, queijo, molho de tomate, ovo estrelado e com um pequeno acompanhamento light de batatas fritas. Um lanchinho da tarde. Coisa simples. Pois bem, é uma delícia! E o negócio é que cada estabelecimento tem seus segredos no preparo da francesinha. Por isso mesmo você deve escolher bem onde vai comer a sua francesa, para que a surpresa não seja desagradável. Eu falei aqui de uma Francesinha mara para se comer. Vê lá!

Meia Francesinha de Dani, por que ela é uma moça fina…

Então é isso, meus jovens! Se forem a Portugal, conheçam esses lugares, sigam essas dicas de o que fazer no Porto, postem fotos no Instagram e marquem com a #sbnoporto. Deixa a gente saber da vida de vocês. Conta aí embaixo mais dicas pra gente. Beijos!

Francesinha – Uma iguaria do Porto

Vocês já sabem que, aqui no Serviço de Bordo, a gente sempre tenta experimentar as comidas locais para tentar entender como vivem as pessoas de determinado lugar. Pois bem, estando na cidade do Porto, em Portugal, não havia a menor possibilidade de não experimentar um prato absolutamente típico de lá: a Francesinha.

A Francesinha é um sanduíche constituído de pão de forma, algum tipo de carne, lingnuiça, cobertura de queijo derretido, presunto, um ovo, às vezes, e mergulhado no mais gostoso molho de tomate. Sempre vem acompanhada de batatas fritas. O negócio é muito gostoso! Mas é preciso saber escolher. Nem todos os lugares servem a francesinha com materiais de qualidade e você acaba pagando por uma experiência furada. Nós rodamos muito na cidade do Porto até que nos deparamos com um restaurante que parecia decente, novinho e que servia a belezura! E não podia ter sido melhor a nossa escolha.

Na área externa do Mercado do Bolhão, bem em frente à saída do metro, está o Portus Gustus. Um restaurante recém inaugurado por um brasileiro e que conta com o chef Nuno no comando das panelas. E aí que está a grande diferença da francesinha de lá. Além de usar ingredientes de primeira qualidade, o chef desenvolveu um molho super especial para a iguaria – e é tradição que cada lugar tenha seu molho próprio. Apimentado na medida exata, o molho é uma atração à parte. O chef não quis me dizer o que tinha lá dentro, mas eu chutaria que levou um toque de cachaça, numa colaboração fantástica entre Brasil e Portugal. O pão usado também fez a diferença: ao contrário de outras francesinhas que nós experimentamos, o  pão não ficou mole e encharcado de molho. Mais firme, manteve a estrutura até o fim do sanduíche. Ponto para o pão!

Não deixe de provar essa leitura portuguesa do clássico francês croque monsieur! E o Portus Gustus nos pareceu o melhor lugar para fazer isso na cidade do Porto!


Portus Gustus

Rua Alexandre Braga, Porto

 

Translate »