Isla del Rosário – Vale a pena?

Isto pode ser lido emPortuguês

This can be read in English

Esto se puede leer en Español

Isla del rosário

No cais de Cartagena, haverá dezenas de agentes de turismo tentando lhe vender o passeio para a tal Isla del Rosário (que nem ilha é, como descobrimos bem depois). As fotos são lindas e encantam com as cores do mar do Caribe lhe chamando a apenas uma horinha de barco. Compramos a ideia e marcamos a saída no dia seguinte. Todo lugar tem seus percalços e o passeio para a Isla del Rosário é um deles. Pelo menos, foi para nós.

É um passeio de dia inteiro. Para começar, nosso barco tocava toda a sorte de música reaggeton possível e imaginável. Ok, eu até gosto do ritmo, mas passar uma viagem inteira ouvindo somente isso a toda a altura é de enlouquecer qualquer um.

Isla del rosário

No meio do caminho, tinha uma pedra: ou melhor, uma ilha. Uma parada numa ilha que tem um aquário de entrada paga. Não adianta reclamar. Ele vai parar e você vai ter que esperar as pessoas entrarem e curtirem a atração. Estaria tudo bem, se essa ilha não fosse minúscula e toda de praias de pedra, o que impossibilitava um mergulho, mesmo que breve, no mar azul cristalino do Caribe. Resta sentar em algum tronco e ficar babando para chegar logo na Isla.

Isla del rosário (5)

A chegada à ilhota que tem o aquário…

Isla del rosário (4)

Passarinho, nosso amigo na espera…

Isla del rosário

A vista belíssima do mar ao redor da ilhota – para ficar babando

Depois de quase duas horas de viagem, chegamos à Isla del Rosário. É bem bonita, com mar clarinho de Caribe e areias claras. Seria perfeito, se não fosse por um detalhe: estava lotada e tudo acontece num pequeno pedaço de mar delimitado por boias e das quais você não deve passar. E, quando eu digo tudo, eu estou me referindo a gente andando de Jet-ski, passeios de banana boat e todo tipo de boia puxada por lanchas, barcos e tudo o mais.

Isla del rosário

Nós nos sentimos extremamente inseguros de mergulhar e sermos pegos por qualquer daquelas embarcações. Resultado: ficamos pouquíssimo tempo no mar e fomos para a areia. Dominada, diga-se de passagem, pelas barraquinhas que você tem que alugar para sentar. Nos recusamos e fomos para uma parte da praia mais vazia, abrimos uma canga e fizemos um lanche com os salgadinhos e batatas fritas que compramos antes de sair! Bordoso que é bordoso só vai à luta preparado!

Isla del rosário (11)

Isla del rosário (9)

Isla del rosário (10)

Isla del rosário

Depois de umas duas horas na Isla propriamente dita, iniciamos o nosso retorno e, mais uma vez com o reaggeton dos infernos, chegamos ao porto de Cartagena sob o por do sol. Uma visão que fez valer o passeio (mentira, mas que foi muito bonito, isso foi).

Isla del rosário (13)

Isla del rosário (14)

Isla del rosário (15)

Isla del rosário

 

Nossa conclusão: Se o seu passeio pela Colômbia não inclui uma visita à Ilha de San Andres, então o passeio pode valer para você, pois a vista do Mar do Caribe é realmente impressionante. No entanto, se depois de Cartagena você segue para San Andrés, pule essa fogueira colombiana e vá curtir uma cúmbia em algum bar pela cidade. Se você decidir pelo passeio, no entanto, fique atento se alguém lhe oferece o trajeto direto para a Isla, sem passar pela ilhota do meio, a não ser, também, que você tenha interesse em conhecer o aquário. Aí, meu amado leitor, se jogue e curta o passeio como um todo! Inclusive, dançando ao som de Niña Bonita, de Maia! Tocou a viagem toda e eu fiquei fã!


Conhece a Isla del Rosário? O que achou do passeio? Conta para a gente aí nos comentários! =D


Vai viajar? Que tal reservar seu hotel com o Booking.com? Cada vez que você reserva seu hotel através do Blog, nós recebemos uma comissão e você não gasta nada a mais por isso! Viu que maneira legal de ajudar a gente? =D

Cartagena de Índias – A joia do Caribe colombiano

Cartagena

Isto pode ser lido emPortuguês
This can be read in English
Esto se puede leer en Español

Cartagena

Sabem desses lugares que são sonhos de consumo de viagem? Pois muito bem, Cartagena era um deles e conhecê-la não pode ser descrito como outra coisa que não mágica. A cidade divide-se claramente em duas zonas (para os turistas): a Ciudad Amurallada e a península que se divide em Boca Pequeña e Boca Grande.

Cartagena

Boca pequena e Boca Grande são as áreas que abrigam os grandes hotéis, as lojas mais modernas e os bares mais descolados de Cartagena. Há quem apelide essa zona de “Miami Colombiana”. Com certeza é uma área muito mais cosmopolita da cidade, mas conservando o espírito cartagenero de simpatia e felicidade pairantes no ar. É bastante agradável ir caminhando, desde a cidade amuralhada até essa área, pela orla do mar caribenho. Aqui, no entanto, o mar não se amostra com o azul vibrante típico dos mares caribenhos, mas não deixa de ser Caribe! Perceba o costume dos colombianos de irem à praia em cabanas.

Cartagena

É na Ciudad Amurallada, no entanto, que estão as edificações históricas de Cartagena, as ruas de paralelepípedo, os meio-fios grossos e pesados, cheios de histórias, os balcões em madeira com seus muxarabies bem torneados e voluptuosos. As varandas com suas bouganvilles vistosas que perfumam o ar de roxos e rosas bem cintados.

 Cartagena

 Entrar nessa área da cidade não é como voltar ao passado, mas é viver o próprio passado, é estar lá. As carroças que levam os turistas para passeios pela cidade fortalecem essa evocação de um tempo que não é o nosso, mas que se apresenta de graça para que o vivamos. Nós decidimos não fazer o passeio de carroça, porque sempre tentamos fugir desses passeios muito visados. Fomos explorar a pé!

Cartagena

Poderia nos parecer que um centro desses, tão impertinentemente fustigado pelos turistas, tivesse se transformado num cenário para forasteiro ver. Mas, não. Cartagena, não. A cidade soube mesclar muito bem suas vocações e o centro é dos cartagenos, há gente de todas as partes, produtos de todos os preços, frutas de todos os sabores. Nele divide-se o café da manhã com o trabalhador local, come-se o mesmo pan de bono. A arepa de queso é democrática e serve a todos, com aquele cheiro que preenche os pátios e aberturas da cidade tipicamente espanhola, deixando o ar cálido e leve. Experimente uma arepa de esquina. São feitas com uma massa de mandioca e recheadas com um queijo que se assemelha ao queijo coalho. Lembrou da tapioca pernambucana? Não é igual. Experimente!

cartagena

O sol de Cartagena se põe garboso, devagar. Ele se vai se amostrando. Ele sabe que tem plateia… De cima das muralhas é que se vê melhor esse desfile. Nos ofereceram uma mesa no Café del Mar. Preferimos a singeleza nada sutil das muralhas centenárias, rodeados de pessoas locais e de turistas, todos na mesma vibe.

cartagena

O Café del Mar é um famoso café que ocupa uma porção das muralhas de Cartagena e que oferece um ambiente bastante agradável para passar um fim de tarde com comidinhas legais e uma boa cerveja ou vinho. É impressionante ver a simplicidade e, ao mesmo tempo, a grandiosidade com que tudo se apresenta em Cartagena.

O que comer

Cartagena possui diversas opções de lugares para comer com charme. A maioria, dentro dos limites da cidade amuralhada. Nós escolhemos três lugares:

El Corral

Já falei dele aqui. É uma rede de fast food puro sangue colombiana, cuja vedete é o hambúrguer com sabores e misturas próprias. Destaque para o sanduíche La Costeña, que leva hambúrguer de carne, creme de queijo branco, salada e chips de bananas fritas. Creia, é sucesso! Essa é uma opção mediana em termos de custos, uma vez que os preços dos combos giram na casa dos vinte e poucos reais. Mas é muito mais saboroso do que outras opções de fast food como McDonald’s. Se sua praia for hambúrguer, aposte no El Corral

Crepes&Waffles

Cartagena

Essa é outra rede de restaurantes colombiana especializada em vender o quê? O quê? Isso! Crepes e waffles! Eles são muito bem preparados, com ingredientes frescos e saborosos e uma apresentação (quase sempre) primorosa. Em Cartagena, eles estão instalados em duas casas históricas da ciudad amurallada, o que confere um charme extra ao restaurante. E eles não cobram nada a mais por isso! Tcharan!

Os crepes são deliciosos, mas nada de outro mundo. Os Waffles são fantásticos, mas, também, para errar uma sobremesa é necessária muita capacidade. O Waffle de frutas do bosque é um acontecimento. Recomendo.

La esquina del Pan de Bono

La esquina del pan de bono é uma padaria como tantas outras existentes em Cartagena. Eles servem vários tipos de pães e sucos, mas o grande destaque é o pan de bono. Um pão feito com massa de mandioca e queijo – aqui, outra semelhança, mas agora com o pão de queijo mineiro. Mas o sabor é um pouco diferente, mais adocicado e menos fofinho. Igualmente delícia.

cartagena

cartagena

Para acompanhar o pan de bono, vá de jugo de lulo (suco de lulo), uma fruta típica da região da qual se faz um suco doce-azedo que harmoniza (#raiogourmetizante) muito bem com o salgado-adocicado do panzinho de bono, nosso melhor amigo.

 O que ver e fazer

Fazer um passeio de bicicleta pelas muralhas históricas

cartagena

As muralhas são larguíssimas e permitem um passeio extraordinário ao redor do centro histórico, com uma vista privilegiada do por do Sol. Não perde tempo e #escalaessamuralha

Conhecer o Castillo San Felipe de Barajas

cartagena

 

O Castillo de San Felipe teve sua construção iniciada em 1536, sob o nome de Castillo de San Lázaro. Com as sucessivas ampliações, teve seu nome alterado em 1657. A fortificação tinha como intenção defender a colônia espanhola e foi a maior edificação do tipo construída pelos espanhóis nas Américas. O legal é caminhar pelos seus túneis subterrâneos. Lá, também, tem a exibição de um filminho – controverso – com a história da chegada dos espanhóis à América e da edificação do forte. Interessante. Há uma taxa a ser paga na entrada e o forte fecha às 17h.

Comprar as bolsinhas coloridas típicas colombianas

cartagena

As bolsas que foram a coqueluche da moda são figuras fáceis de encontrar por toda Cartagena e por preço muito mais acessível que em qualquer lugar do mundo. Elas são coloridas, elas são divertidas, elas são cartageneras! Uma síntese do espírito de um povo em formato de bolsa!

Visitar a Catedral

cartagena

 

Catedral Basílica Metropolitana de Santa Catalina de Alejandría começou a ser construída em 1577 e só foi finalizada em 1612. Tem interior e volumetria bastante simples, numa espécie de Maneirismo espanhol ultra-marino. Vale a pena dar uma passadinha para tirar algumas fotos e limpar a alma para o resto da viagem.

Curtir um som no Festival Internacional de Música de Cartagena

cartagena

O Festival de Música de Cartagena acontece, tradicionalmente, no começo de Janeiro de cada ano. Apresentações de música de câmara em igrejas e teatros dão o tom desse festival que pode ser bem exclusivo. Os ingressos são caríssimos! Mas, dá para curtir uma ou outra apresentação ao ar livre, que são grátis e lotadíssimas! Mas é superinteressante observar todo aquele povo reunido para ouvir a execução de peças clássicas. Sem dúvida, um evento cultural bem charmoso.

Aprender sobre a Arquitetura Colonial espanhola

cartagena

Dizer que Cartagena é um museu a céu aberto seria um acinte sem precedentes! A cidade soube conservar seu casario histórico inserindo novos usos (todos os tipos de uso) sem ferir o conjunto urbano. Resultado: uma cidade histórica pulsante! As casas ainda conservam em suas fachadas os balcões ora executados em pedra, ora em madeira. Foi raro encontrar balcões fechados com muxarabis como rezava a tradição mourisca e muito se encontra na arquitetura colonial portuguesa no Brasil. Uma cidade linda, de fato!

Subir até o Santuário de Nuestra Señora de La Candelária de la Popa

cartagena

O Santuário de Nuestra Señora de La Candelária de la Popa fica num morro fora da cidade amuralhada, onde somente se chega de frete contratado ou de táxi. A subida vale a pena seja pelo convento, com suas arcadas a circundas o átrio central, seja pela vista, que apresenta uma Cartagena multifacetada, cidade de Porto, História e, também, de arranha-céus e de casinhas simples.

cartagena

 

Quando ir

Cartagena é uma cidade que combina com Sol! Assim, a melhor época do ano para visitá-la é entre os meses de Novembro e Fevereiro. Lembre-se que pode ficar bastante quente. Portanto, o kit básico deve ser observado: Protetor solar, um chapéu e roupas leves. Quer entrar realmente no clima? Compre uma camisa de linho de manga comprida, coloca uma bermuda de linhas retas e um sapato mocassim. Pronto, um verdadeiro jetsetter tropical.

 

 

Mapa com os pontos indicados.


Nós fizemos, como de costume, um vídeo com algumas imagens de Cartagena. Pega a pipoca, o guaraná (que programa legal!), apaga as luzes, relaxa na cadeira e dá o play! Aproveita e vê os outros vídeos da gente lá no nosso canal do YouTube.

 


 

E aí? Conhece Cartagena? Sonha em conhecer a cidade e tem alguma dúvida? Deixa uma mensagem aí nos comentários que a gente adora bater papo! =D


 

Vai viajar? Que tal reservar seu hotel com o Booking.com? Cada vez que você reserva seu hotel através do Blog, nós recebemos uma comissão e você não gasta nada a mais por isso! Viu que maneira legal de ajudar a gente? =D

San Andrés: Alugando o carrinho

Isto pode ser lido em Português
This can be read in English
Esto se puede leer en Español

San Andres

Uma das coisas mais comuns a se fazer na Ilha de San Andrés é alugar um carrinho de golfe para passar o dia circulando pela ilha. Há locadoras por todas as partes do centro e não são caros. Quando estivemos lá, o valor cobrado era de 90.000 COP (Pesos Colombianos, cerca de R$ 110 reais). Pegamos o carrinho pela manhã e devolvemos no finzinho da tarde. A gasolina estava inclusa no valor do aluguel.

San Andres
Vistas fantásticas das praias de San Andrés

 

San Andres
Casa “jamaicana” na costa de San Andrés

Alugar o carrinho é super recomendado pelo simples fato de que o transporte público em San Andrés é bem deficitário e depender dele não é uma boa ideia. Não à toa, todos em San Andrés alugam/têm um carrinho desses ou uma moto para se locomover. Ele vai lhe ajudar a ter mais liberdade em sua programação, permitindo-lhe parar nos pontos que você bem entender, na hora e por quanto tempo você decidir.

San Andres

Dirigí-lo é extremamente simples. Basta ligar, e pisar nos dois únicos pedais: GO e STOP. Pronto. É só isso. Com o carrinho, você consegue dar uma volta na Ilha e consegue ir parando nos pontos turísticos, que ficam bem distribuídos ao longo da costa. Não fique preocupado em trancar o carro ao descer nos pontos turísticos, mesmo porque ele nem porta tem. É super tranquilo deixar o carrinho parado em áreas mais alargadas dos acostamentos ou pequenas áreas de estacionamento perto das atrações. Mas, também, quem vai querer roubar um carrinho? É uma ilha! A pessoa vai fugir pra onde? Mas não deixe de levar as chaves com você! Não custa nada, né?

San Andres

A velocidade do carrinho não passa dos 30km/h. Portanto, pressa não é a melhor amiga desse meio de transporte. Aliás, deixe a pressa dentro do avião, na hora que desembarcar nessa ilha. Não faça nada com desespero. Vá relaxando. Agora, eu vou contar a vocês: o carrinho ir a 30km/h não significa que você está completamente livre de riscos (de morte). Sim, leitor, vou contar o que nos ocorreu em San Andrés, quando senti a foice da morte raspando meu pescoço (#exagero).

 

San Andres
Meninas caminhando pela estrada de San Andrés

Eu fui o motorista durante todo o dia na ilha. Em um belo momento, Dani (que tinha acabado de tirar a carteira de motorista) resolveu assumir o controle do carrinho. Tudo ia muito bem, enquanto íamos em linha reta (com algumas correções de rota, como você pode ver no vídeo no fim do post). Afinal, GO e STOP não tem segredo, não é mesmo? Foi o que eu pensei, também, até que nos deparamos com a primeira curva.

San Andrés

Estávamos perto do aeroporto, na volta do nosso passeio, numa área bem movimentada. Cheia de gente. Uma curva para direita. Dani resolveu desafiar a gravidade, a força centrípeta, o automobilismo, a física clássica e tudo o mais que a ciência já desenvolveu e, ao invés de pisar no STOP, pisou no GO (#mulherarretada). Resultado: o carrinho fez que ia capotar, eu pulei pra fora dele, tentei frear no melhor estilo Flintstones com os pés no chão, não consegui. Abandonei o carro. Dani só parou quando o carro subiu o canteiro central. Todos olhavam, nesse momento. Detalhe que, na frente do canteiro, tinha um posto de gasolina. Os frentistas saíram correndo quando viram o carrinho vindo na direção deles. A coisa ia explodir! No fim, Dani ficou sentada no carrinho olhando passada para todos como quem diz: quanto escândalo!, e eu fui lá retirar o carrinho e seguir o percurso até a locadora. O carrinho e nós saímos ilesos, mas eu tive que comprar sandálias novas.

Dica: reduza a velocidade nas curvas.

Confere aí um vídeo com um resumo da nossa volta pela Ilha de San Andrés. (Você vai perceber que é extremamente difícil fazer um Vlog em cima de um carrinho sem amortecedor…=D)


É isso pessoal! E vocês, já estiveram em San Andrés? Já alugaram carrinho e jogaram no canteiro central numa atitude #rockstar? Contem aí pra gente que a gente adora ouvir as histórias e conversar!

Vai viajar? Que tal reservar seu hotel com o Booking.com? Cada vez que você reserva seu hotel através do Blog, nós recebemos uma comissão e você não gasta nada a mais por isso! Viu que maneira legal de ajudar a gente? =D

Colômbia – 10 motivos para visitar

Isto pode ser lido em Português
This can be read in English
Esto se puede leer en Español

A Colômbia é um país lindíssimo, de uma cultura riquíssima e um povo amabilíssimo. Assim mesmo, tudo no superlativo, porque é um lugar surpreendente. Confesso que fiquei bem receoso quando Dani me propôs o país como destino de umas férias, mas me rendi e fui. Só posso dizer que foi paixão à primeira desembarcada e aquela terra ocupa um lugar especial em nossos corações desde então.

Aí a gente resolveu listar 10 coisas que nos fizeram amar de cara a Colômbia e que, temos certeza, farão você amá-la também! Confere aí!

 

10 motivos para visitar amar a Colômbia

1. Conhecer a – bem preservada – arquitetura colonial espanhola de Bogotá

Bogotá tem um centro histórico com edificações bem preservadas e que transmitem o ar da Colômbia espanhola, com seu casario de edificações com balcões em madeira ou pedra, com os típicos trabalhos de madeira talhada. Realmente, andar por essas ruas é como voltar no tempo e poder admirar a arquitetura dos colonizadores europeus e traços de influência da cultura mourisca, do tempo da dominação dos Mouros sobre a península Ibérica.

centro historico bogota

2. Visitar o Museo del Oro de Bogotá

Em Bogotá e em Cartagena, há o Museo del Oro, que concentra boa parte da produção dos ourives que habitavam aquela região antes da chegada do colonizador europeu. Visitar o museu lhe dará uma dimensão da riqueza cultural e da destreza manual daqueles artistas, bem como lhe fará mergulhar na cultura Muísca.

museo del oro

A exposição é montada de maneira a lhe levar a compreender a história da formação da Colômbia e os ritos e costumes que se expressam até hoje. Destaque para a “Sala das Oferendas”, que conta com uma montagem especial de luzes e sons e que exibe as peças de ouro encontradas na Laguna de Guatavita e que, dizem, deram origem à lenda do El Dorado, uma cidade que, acreditava-se, seria feita inteiramente de ouro. Recomendadíssimo!

museo del oro

3. Conhecer a impressionante Catedral de Sal em Zipaquirá

Próximo a Bogotá, fica a cidade de Zipaquirá. Nessa cidade, existe uma antiga mina de Sal desativada e que foi transformada em uma Catedral subterrânea impressionante. A igreja apresenta a via crúcis, com cruzes esculpidas em pedras, e diversas naves, com um projeto luminotécnico bem cuidado e que valoriza o ambiente.

Ao caminhar, dá para ver o sal brotando das paredes. Você pode, inclusive, provar! Por que eu faria isso?, você pergunta. Não sei, mas eu provei, claro! Salgado… O ambiente é úmido e um pouco abafado e nós vimos gente desistindo logo na entrada porque sofria de claustrofobia. Mas, eu acho que não é para tanto.

 

catedral de sal2

Corredores minando Sal - Catedral de Sal, Zipaquirá
Corredores minando Sal – Catedral de Sal, Zipaquirá

catedral de sal zipaquirá

 

4. Se encantar com o magnífico Alumbrado Navideño em Medellín

De meados de Novembro, até o início de Janeiro, a cidade de Medellín se orgulha de exibir o que eles chamam de a maior decoração de natal do mundo. Eu não sou muito íntimo das decorações de natal mundo afora, mas posso afirmar: a de Medellín é gigantesca.

São milhões de luzezinhas decorando o centro da capital e diversos parques por toda a cidade. O Alumbrado é um verdadeiro evento na cidade de Medellín. Barracas de comidas típicas, cerveja barata em copos generosos e atividades culturais como apresentações de bandas e exibição de filmes em telas d’água completam o festival. Parece o carnaval de tanta gente nas ruas! Devo dizer que, como mau olindense que sou e que foge do carnaval anualmente, foi a única coisa que me desagradou. Mas há percursos que você pode fazer sem ir na multidão. Nós que tivemos a belíssima ideia de ir caminhando na beira do rio (nós e toda Medellín). Pelo meio da rua é BEM mais tranquilo e dá para levar crianças, inclusive.

alumbrado em medellin
Mais de 14 milhões de luzezinhas no Natal de Medellín, na Colômbia

alumbrado em medellin 2

5. Visitar o Museo Botero e o Parque Explora em Medellín

 

Medellín já foi considerada a capital do tráfico de drogas da Colômbia, e por muitos anos sofreu com o medo causado por seu famoso habitante Pablo Escobar. A coragem do governo em enfrentar o tráfico de frente fez de Medellín uma cidade adorável e que merece ser conhecida.

Lá está o Museo Botero, que exibe obras famosas do igualmente mundialmente famoso artista Fernando Botero. Em frente ao museo, há uma exposição em praça pública de 23 peças doadas pelo artista à sua cidade natal.

Dani e Botero
Museo Botero, Medellín – Colômbia
Colombia
Peça doada por Botero à cidade de Medellín

É em Medellín, também, que você vai encontrar o Parque Explora. Uma área destinada ao conhecimento, com diversas atrações de experimentos científicos, de acesso gratuito, e uma edificação com aquário, herbário, exposição de insetos e mais experimentos científicos, de entrada paga.

É divertidíssimo interagir com as geringonças e visitar as exposições, além de admirar a belíssima edificação contemporânea, com suas linhas angulosas e revestimento inusitado. Uma vez aí, não deixe de visitar, também, o Planetário da cidade.

Parque explora medellin
Divertidíssimo Parque Explora em Medellín – Colômbia
colombia
Exposição no interior do Parque Explora
Até hoje, não entendi o propósito desse experimento. Mas era muito divertido! \o/
Jamais entendi o propósito desse experimento. Mas era muito divertido! \o/

6. Se misturar na explosão de cores de Cartagena de Índias

 

Cartagena é uma joia do Caribe! No norte da Colômbia, a cidade é uma profusão de cores em todos os matizes. Edificações muito bem conservadas – e em constante manutenção – fazem da ciudad amurallada uma viagem no tempo, para uma Colômbia colonial, com prédios de dois pavimentos e seus inconfundíveis balcões.

É interessante notar como a cidade aglutinou novos usos às edificações antigas sem destruí-las ou destituí-las dos seus valores históricos e culturais. O clima, sempre agradável, contribui na tarefa de se inserir naquela atmosfera de alegria, descontração e conteúdo histórico. Cartagena tem frutas, tem música, tem ouro, tem esmeraldas e tem mar do Caribe a poucas horas de viagem.

centro historico cartagena

 

cartagena

cartagena 2

bolsas de cartagena

7. Experimentar uma Limonada de Coco

Uma instituição colombiana, presente em 10 de 10 restaurantes. Lhes apresento a Limonada de Coco! Aí você pode pensar: certo, mas é uma limonada… Com leite de coco… Não, caro leitor, eu não acho que seja (talvez até seja), mas o que vale é a experiência de provar essa iguaria absurdamente refrescante num ambiente que exala tropicalidade. Você não pode deixar o país sem experimentar essa maravilha que é a Limonada (limonaaaaada, como me corrigiu uma garçonete gente boa) de Coco.

limonada de coco

8. Tomar um bom café da manhã com Jugo de Lulo y Pan de bono

Uma experiência cultural só é completa, para mim, quando ela inclui uma incursão por algum elemento da gastronomia local. Nosso hotel em Cartagena não oferecia café da manhã, e isso nos fazia ir todos os dias à padaria da esquina, o que nos levou a descobrir o Pan de Bono, uma espécie de pão de queijo feito com massa de mandioca. O sabor e a textura são semelhantes, mas não deixam de ser únicos. Acompanhando, peça um suco de Lulo, um fruto típico da região e que faz um suco delícia, bem leve e refrescante.

Não deixe de experimentar, também, as famosas arepas de queso, que são uma espécie de massa assada recheadas com queijo e manteiga vendidas por toda a Colômbia. São bem deliciosas!

cafe da manha com pan de bono
Pan de Bono acompanhado de Suco de Laranja e Suco de Lulo

 

pan de bono

9. Conhecer um Caribe acessível e encantador

 

A cerca de 700 km da costa da Colômbia, há uma ilhota no meio do mar do Caribe ainda começando sua exploração pela indústria do turismo de massa. É a Ilha de San Andrés, com seu mar de sete cores, preços acessíveis e comércio com isenção fiscal.

Na ilha, você pode se acabar nas compras sem impostos, aproveitar um solzão tropical ou praticar mergulho naquele deslumbrante mar caribenho repleto de peixinhos e corais coloridos.

San Andres
O Mar de Johnny Cay – Ilha de San Andrés

10. Mostrar que o real perigo da Colômbia é querer ficar para sempre

 

Como parte do esforço de mudar a concepção do Mundo em relação à Colômbia, o governo fez uma ação de marketing em que colocava que “o real perigo é querer ficar”, no intuito de explicitar que a Colômbia é um lugar encantador e que o país não é o palco da terceira guerra mundial. Claro, há perigo? Há, sim. As FARC ainda são uma ameaça presente e atuante no território colombiano, mas eles agem, na maioria das vezes, nas áreas de selva e pouco adensadas. Revolucionário nenhum invade as grandes cidades colombianas para tocar o terror. Não é Cangaço, minha gente!

Obviamente você deve tomar cuidados. Nos nossos deslocamentos entre as cidades, só usamos avião. Uma medida cara, mas necessária para garantir nossa segurança. Mas, dentro das cidades, nunca nos sentimos tão tranquilos e seguros. Caminhamos com câmeras fotográficas, fomos à favela em Medellín e estamos aqui, são e salvos para contar a história.

Então, eu só posso terminar esse post com uma recomendação: VÁ À COLÔMBIA!

E você? Já foi à Colômbia? Tem dicas para a gente? Conta aí! A gente adora ouvir as histórias!

 Vai viajar? Que tal reservar seu hotel com o Booking.com? Cada vez que você reserva seu hotel através do Blog, nós recebemos uma comissão e você não gasta nada a mais por isso! Viu que maneira legal de ajudar a gente? =D

San Andres, Colômbia – Caribe inexplorado e apaixonante

 

 Isto pode ser lido em Português

This can be read in English
Esto se puede leer en Español

San Andres

O voo até San Andres, saindo de Cartagena, foi bem turbulento, coisa comum sobre as águas caribenhas. O avião seguiu entre as – muitas – nuvens, que nos davam a impressão de que a viagem seria uma furada. À medida que o avião ia descendo, em sua trajetória final de voo, a expectativa de ver o mar do Caribe pela primeira vez ia aumentando, quando, de repente, as nuvens acabaram. Era San Andres, com sua forma esguia, elegante e seu colar de turquesa. Ver aquele mar pela primeira vez gravou em mim uma imagem que, certamente, jamais será esquecida. San Andres estava só começando!

A Ilha de San Andres é uma ilhota do Caribe ligada politicamente à Colômbia, ficando a uma distância de cerca de 700km da costa colombiana. O lugar é um paraíso para quem, como eu, ama praia, música jamaicana e compras (#equemnao?). A Ilha ainda é pouco conhecida e pouco explorada pela indústria do turismo, sendo visitada quase exclusivamente pelos próprios colombianos e visitantes dos países vizinhos. Isso faz dela um paraíso livre de turistas chatos! O clima na ilha é o melhor possível!

San Andres

San Andres é uma localidade extremamente interessante e apresenta algumas peculiaridades:

1. Apesar de estar quase a 600km de distância da Jamaica, ela é MUITO ligada à cultura jamaicana, com reggae tocando por todos os lados, cabeleiras rastafári e as cores da bandeira jamaicana decorando tudo o que tem parede.

San Andres

2. Por não ser, ainda, um destino turístico de massa, a ilha não conta com infra estrutura de alto luxo, como outras ilhas do Caribe. Tudo tem um ar amador, que de certo modo, confere um charme à ilha e lhe dá a impressão de estar vendo um lugar autêntico. E também favorece os preços mais convidativos.

3. A ilha tem isenção fiscal, o que faz dela um grande freeshop ao ar livre! Mas me diga, mesmo, se isso é ou não uma maravilha? Mas, não vá enlouquecer nas compras o dia inteiro e perder o espetáculo que é esse mar do Caribe ainda pouco atacado pelos turistas – muito embora, ultimamente, tenham surgido muitos voos diretos para a dupla Cartagena-San Andres. Deixe as compras para o fim da tarde/início da noite, uma vez que as lojas ficam abertas até cerca de 20h.

San Andres

Aliás, é uma ilha extremamente sem frescura, então a coisa mais comum vai ser ver gente sem camisa, coberta de areia, comprando perfumes e relógios importados. Um clima inexplicável e surpreendentemente agradável. Livre.

San Andres

San Andres é linda. As pessoas estão sempre com um humor leve e cristalino, como as águas da ilha. Azuis e verdes. Há um encantamento no ar e o dia a dia parece uma festa. Uma celebração à vida, à facilidade de existir. Foi fácil entrar nesse clima e nos sentirmos abraçados pela brisa suave que sopra de todos os cantos da ilha.

O que fazer?

San Andres é uma ilha do Caribe. Portanto, vamos à praia! E, nessa ilha, você tem muitas opções de mar azul cristalino e visual incrível.

1. Snorkel em West View

San Andres

West View é um dos alguns pontos de mergulho e banho ao longo da ilha. A profundidade chega a 8m e é necessário saber nadar para entrar no espaço. A entrada é paga, mas é o ponto de mergulho que oferece a melhor infraestrutura, com aluguel de snorkel, barzinho e trampolim para entrar na água. Lá, também, é oferecido um mergulho com escafandro pelo fundo do mar. Interessante!

2. Banho e mergulho en la Piscinita

La Piscinita é um outro ponto de mergulho na ilha. Nós não chegamos a ir até lá. Assim como em West View, há uma taxa para entrar, mas quando soubemos da diferença de infraestrutura, decidimos seguir direto para West View.

3. Ficar completamente ensopado no Hoyo Soplador

No litoral da ilha, há uma formação nas rochas que criou um efeito interessantíssimo. Um buraco ligado por um canal dentro da rocha até o mar. Quando a maré está alta, as fortes ondas batem no paredão rochoso e fazem o buraco soprador espirrar água como um gêiser. Diversão garantida! Eu digo, muita diversão! Hehehehe

san andres10

 San Andres

dicas e descobertas

Adquira uma câmera fotográfica à prova d’água! As águas de San Andres são cristalinas e estão repletas de peixes coloridos. Você VAI QUERER tirar fotos deles – e suas – debaixo d’água! Diversas lojas de San Andres vendem câmeras descartáveis da Kodak e muitos outros modelos de câmeras digitais submergíveis com bons preços – isenção fiscal, lembra?

 4. Um passeio à paradisíaca Johnny Cay

San Andres
O Mar de Johnny Cay

Um passeio imperdível em San Andres! A ilha de Johnny Cay fica bem próxima à ilha principal e o jeito de chegar lá é adquirindo um passeio com alguma empresa local de turismo. Ficamos impressionados com o profissionalismo e qualidade do serviço, tendo em vista o preço (cerca de R$40 reais por pessoa, com almoço incluso. Normalmente, essas de almoço incluso são furada, mas nessa eu achei bem honesto). O passeio a Johnny Cay inclui, normalmente, uma passada pelo Acuário, onde as ondas são mais fracas e você consegue observar melhor os peixes e a beleza das cores do mar do Caribe. Aliás, eles dizem por lá que o mar de San Andres tem sete cores. Não contei, mas são muitas.

San Andres
O Acuário, a caminho de Johnny Cay

dicas e descobertas

Como as áreas de mergulho e snorkel são cheias de corais cortantes, a melhor ideia é comprar sapatos especiais de borracha. Eles estão à venda em quase todas as lojas de San Andres e são bem baratinhos (os sem marca). Os nossos foram desses baratinhos e usamos até hoje!

sapatos
Os sapatinhos em ação na Praia dos Carneiros. Bonito? Prefiro chamar de funcional…

5. Se acabar nas compras pelo centro

O centro de San Andres é um paraíso das compras, com produtos originais e “origenéricos”. Há lojas que vendem roupas de marcas famosas, como Ralph Loren, Lacoste, Tommy Hilfiger e uma loja da La Riviera, onde você encontra perfumes, relógios e eletrônicos. Não vá esperando, no entanto, um ambiente luxuoso. Algumas lojas até são arrumadas, mas o clima que impera é o do Caribe: descolado e desprendido.

Mas não vá enlouquecer totalmente nas compras! Lembre-se que a cota de importação ainda vai continuar valendo e você ainda vai precisar prestar contas na volta ao Brasil, como a gente explica aqui.

dicas e descobertas

Para fazer os passeios, alugue um carrinho de golfe em alguma locadora da ilha. É a coisa mais comum. Todos usam, inclusive os locais. Quando alugamos, não pediram nenhum documento, mas é bom levar a carteira de motorista e, se você possuir, a Permissão Internacional para Dirigir (PID). Como os passeios são longe um do outro, e o sistema de transporte público é bem precário, o carrinho vai ser seu melhor amigo. Você dá a volta na ilha em menos 3 horas.

TODOS usam os carrinhos de golfe =D
TODOS usam os carrinhos de golfe =D

Hospedagem

San Andres tem muitas opções de hospedagem. Nossa primeira opção foi alugar um apartamento, até chegarmos lá e descobrirmos que o apartamento, reservado pela internet, não existia mais! Após algumas horas desabrigados na ilha, acabamos ficando num dos melhores hotéis disponíveis: o Hotel Casablanca.

Hotel Casablanca
Fonte: Site do Hotel Casablanca

Fantástico, o hotel fica na beira do mar turquesa, numa área em que se pode, perfeitamente, tomar banho e no centro de San Andres. Acredite, isso facilita DEMAIS a sua vida, visto que outros hotéis do mesmo nível ficam bem afastados. O café da manhã é um espetáculo e há uma espécie de self service em que a cozinheira prepara para você ovos ao seu gosto, com as mais variadas opções de acompanhamento. Além disso, música ao vivo toda manhã. Perfeito. Voltarei a ele em um post exclusivo!

Além do CasaBlanca, há outras opções mais afastadas do centro da Ilha de San Andres, mas que são mais em conta (ou não). Na sua busca por uma hospedaria, procure ficar num lugar de fácil acesso ou de fácil locomoção aos passeios que você deseja fazer.

Clicando aqui, você pode buscar as melhores opções de hospedagem em San Andrés!

Nesse mapa nós marcamos alguns pontos de San Andrés, para facilitar sua busca por um hotel! (#agenteteama)

 

Gastronomia

Há muitos lugares para comer em San Andres, mas há lugares que você não pode deixar de visitar.

El Corral

El Corral é uma instituição colombiana. É a maior rede de fast food genuinamente nacional, do naipe de grandes cadeias como McDonald’s e Burger King. Mas, eu juro a vocês, é o melhor sanduíche que eu já comi na minha vida inteira em todo o universo galático. O cardápio é bem variado, os restaurantes têm uma ambientação super legal e o sanduíche é delicioso (#amoraprimeiravista). No caso do restaurante de San Andres, a coisa outra dimensão, porque ele fica à beira mar, com todo aquele visual incrível do azul caribenho como cenário. Imperdível.

Gourmet Shop Assho

Esse restaurante é bem descolado, com uma ambientação cheia de garrafas de cerveja e mesas feitas com barril de chope. Mas, o legal, mesmo, é ficar do lado de fora, curtindo a brisa fresca (no nosso caso, foi curtindo um toró). Uma vez lá, não deixe de experimentar o camarão no molho picante (fantástico! O camarão é macio e a salada que acompanha vai lhe fazer querer comer salada todos os dias). Não esqueça de experimentar, também, essa outra instituição colombiana: Limonada de Coco. É a bebida mais adequada para o clima caliente.

Existem muitos outros restaurantes legais em San Andres e que você deve explorar! Inclusive os restaurantes pequenos e locais, como uma pizzaria minúscula que era a nossa opção de uma comida barata e divertida (#quandobateapreguiça), na esquina do Shop Assho e a gente se sentia no melhor esquema local: comprava a pizza para levar, passava em algum “free shop”, comprava alguma bebida e a festa estava feita.

Quando ir

Os melhores meses para visitar San Andres são de novembro a fevereiro, em que o sol aparece todo dia para pintar as águas de turquesa.

Como chegar

San Andres tem um aeroporto (uma graça) e os voos partem de Bogotá. Assim, você deverá passar pela capital colombiana antes de embarcar para a Ilha. Na entrada da ilha, no aeroporto, você deverá pagar uma taxa de turismo no valor de 46.000 COP (Pesos Colombianos) por pessoa, independente da quantidade de dias.

O que a gente acha

San Andres é um destino em que a relação custo x benefício é bastante vantajosa. Você vai receber o melhor do Caribe, que na minha humilde opinião é o mar, em um ambiente em que não há luxo exacerbado, mas em que as pessoas são super agradáveis, o clima é estável e morno e as compras não têm impostos.

E você? Já foi a San Andres? Conta para a gente as suas experiências naquela ilha adorável! A gente adora ouvir as histórias de vocês!

 

 Vai viajar? Que tal reservar seu hotel com o Booking.com? Cada vez que você reserva seu hotel através do Blog, nós recebemos uma comissão e você não gasta nada a mais por isso! Viu que maneira legal de ajudar a gente? =D

 

Translate »